E o primo garanhão se deu mal.

Um conto erótico de Yarcano
Categoria: Heterossexual
Data: 11/07/2019 12:22:44
Nota 10.00

E o primo garanhão se deu mal.

autor: Yarcano

Minha vida estava meio bagunçada, morando sozinho, separado, sem filhos e com 49

anos. Eu estava me virando nos trinta literalmente, más agora com a vida toda só pra

mim, só mesmo, sem um gato pra puxar pelo rabo e o melhor ninguém me enchendo o saco

e o pior ninguém mesmo. Até a chegada do convite de casamento de um sobrinho que nem

tinha muito contato, más como é família então eu estava na lista.

Parecia distante más a data chegou. 4:30 da tarde de sábado eu já estava pronto e na

dúvida se ia de carro ou ia a pé pra igreja que não fica longe da minha casa e

depois arranjaria uma carona pra festa que seria num clube luxuoso fora da cidade.

Meus primos não são ricos más o pai da noiva é quem deveria estar bancando a festa,

um empresário no ramo cerealista. Acabei indo pra igreja na minha estradinha só pra

não ter que cruzar o bairro andando de terno, afinal era tudo alugado até o sapato.

Más ainda assim iria de carona pra festa. Terminado a cerimonia arrumei carona com

um primo que tem a mesma idade que eu, e éramos muito próximos quando crianças, ele

tem uma bela esposa, a mais bonita da família e muito atraente também, um mulherão,

diga-se de passagem, ela tem 44 mas parece 30 ou menos, cabelos pretos lisos, que

sempre usou eles longos quase pela cintura agora só deixava curtinho, e nesse dia

estava cortado tipo Chanel, estava muito linda. Meu primo também é um tipão, com

certeza o mais bonito entre os primos, somos em 9 primos, um mais feio que o outro.

Chegamos na festa, um clube maravilhoso, estava lindíssimo, uma noite agradável de

final de outono. Nos acomodamos numa mesa com mais dois casais de amigos dos meus

primos que eu mal conhecia. Só eu solteiro ali, meio deslocado comecei a caçar com o

olhar até avistar uma loirinha simpática que chama atenção pela forma delicada e

angelical, não era nenhuma deusa, magrinha, peitinhos pequenos, bundinha arrebitada

destacada numa calça colada daquelas que aperta até os joelhos e depois ficam bem

largas nos pés. Não era muito bonita de rosto, era bonitinha, mas não era linda, mas

no todo era muito atraente, devia ter no máximo uns 25 anos.

Aí teve a valsa, a noiva jogou o buque e a mulherada foi pra pista, e da-lhe

batidinha, ninguém economizava na bebedeira. Os homens da mesa resolveram deixar um

pouco a cerveja de lado e ir pro bar também, fui junto e ficamos em pé na frente do

bar que ficava do lado da pista de dança onde estava toda mulherada se requebrando

ao som da banda. Com certeza o barman foi quem mais trabalhou naquela noite. Lá

pelas 2:00 a mulherada já estava a maioria bem alterada, os homens já bem

descontraídos, alguns arriscavam alguns paços na pista, e foi aí que percebi meu

primão posudão, bem casado de olho na loirinha e percebi que a danada retribuía os

olhares e em dado momento em que ela foi no bar pegar mais uma bebida meu primo

colou atrás dela e lhe falou algo discretamente no ouvido, parecia ser só um

comentário casual más eu sabia que ali tinha mais coisa. Isso já era uma 3:00.

Fiquei observando a menina até que ela saiu pela lateral do salão sozinha, até aí

nada demais, em seguida meu primo que também estava de olho nela e disfarçando disse

que ia no banheiro e depois dar uma olhada no carro que tinha ficado na rua. Aí o

instinto detetive aguçou, fiquei puto da vida, eu ali sozinho e meu primo casado com

uma das mulheres mais gostosas da festa ia tirar umas lasquinhas de um loirinha

novinha. Enfim eu não podia fazer mais nada.

Procurei sua esposa com os olhos e a vi na mesa sozinha, fiquei encucado, será que

ela tinha visto algo. Me aproximei e me sentei perto dela na mesa e puxei assunto,

ela nem estava falando direito, estava muito bêbada que mal se aguentava de pé,

perguntei se queria ir pra casa, ela recusou chamei pra sair tomar um ar ela

aceitou, tive que escora-la pra não cair e sem dar bandeira saímos do salão,

perguntei se ela queria ir até o carro pra relaxar um pouco ela abriu a bolsa e

pegou a chave e me entregou. Apoiei ela colocando seu braço em meu pescoço e abracei

sua cintura e fomos caminhando devagar até o carro que estava há meia quadra dali.

Abri a porta e devagar consegui coloca-la sentada no banco com as pernas pra fora do

carro e aos poucos fui ajudando ele pôr as pernas pra dentro, primeiro a esquerda,

não pude deixar de apreciar sua calcinha branca por baixo da maia calça na abrida de

pernas, a saia foi parar no limite da calcinha, meu pau reagiu na hora, ainda na

intenção de ver mais pois o local era bem iluminado, lentamente ajudei a recolher a

perna direita e levantei o suficiente pra ver parte da polpa da bunda e o pacote que

a buceta formava naquela calcinha, que coisa linda, fiquei tremulo, suando frio e

muito excitado. Fechei a porta e entrei no lado do motorista e disse que ia levar o

carro pro estacionamento do clube que era mais seguro.

Dei partida e entrei no estacionamento ainda cheio de carros, e fui pro canto mais

distante e escuro perto das vans. Ao parar na vaga vejo há uns dez metros à frente

encostado num carro meu primo dando um amaço na loirinha, fiquei muito enciumado e

muito puto, revoltado mesmo. Sua mulher ali do meu lado, linda deliciosa beudona e

apagada, nem pensei duas vezes, vou tirar uma lasquinha dessa deusa.

Comecei apalpando os peitos e ela nem reagiu, estava difícil de apalpar pois a blusa

além de ser apertada tinha bojo e dificultava o contato. Peguei o celular e dei uma

clareada na parte inferior e a saia estava tola levantada revelando as coxas e a

calcinha pequena, mas a posição não deixava ver muito, fui reclinando o banco dela

lentamente mas poderia ser de supetão que ela nem perceberia, estava completamente

apagada. Deixei ela esticada e sua respiração já ressonava, estava em sono profundo.

Puxei a perna esquerda pro meu lado e empurrei a direita pra porta, ficou

escancarada, peguei o celular e clareei só com o brilho da tela, ai deu pra ver bem

os contornos daquela vulva inchada, formava um lindo pacote, devia ser gordinha ou

beiçuda, minha curiosidade só aumentava. Olhei em volta e meu primo ainda estava lá

no mesmo lugar com a loirinha, acho que ela devia ser bem difícil pq passados quase

uma hora e eles ainda estavam comportados, apenas se via uns beijos como se fossem

namorados. Voltei a atenção pra esposa do meu primo e tirei umas fotos daquela

calcinha e dos contornos daquele bucetão. Como eu estava muito puto com meu primo

traindo aquele monumento de mulher, eu ia dar o troco mesmo sem ela saber e com

jeitinho rasguei o fundilho da meia calça deixando uma brecha e apalpei com gosto

aquela vulva macia por cima da calcinha e fotografei mais, ela não tinha nenhuma

reação, apagada total. Com cuidado puxei a calcinha de lado revelando o objeto mais

desejado, uma bocetona carnuda, escura forrada de pelos negros bem aparados, uma

coisa linda mesmo, abri com os dedos e vi o vermelho do interior da buceta, tirei

muitas fotos, aproximei a boca pra dar uma chupada mas um forte cheiro de urina me

fez recuar e só dei uns beijinhos no púbis e rocei a boca e nariz na pentelheira

aparada, meu pau estava até doendo dentro da calça, resolvi libertá-lo pra dar uma

aliviada, examinei bem a cena e uma deusa desfalecida do meu lado com as pernas

escancaradas e um bucetona arreganhada, parti pra cima e me ajeitei como deu em cima

dela sem toca-la e fu encostando o pinto na vulva aberta e senti o calor da buceta

na ponta do pau, dei uma passada de saliva e pincelei na racha carnuda, a cabeça

sumia entre os lábios sem penetrar. E fui descendo o corpo e o pau foi achando o

caminho, até que soltei todo o peso e entrei de cabeça naquela racha quente e úmida.

Repousei sobre seu corpo macio, lhe beijai a boca, o pescoço e tudo que alcançava

com a boca e comecei a socar cada vez mais rápido e não demorou pro gozo vir, não

tive dúvidas naquele momento e sem pensar muito despejei muita porra dentro daquela

bucetona deliciosa, eu não queria parar de meter chifres no meu primo e meti muito,

fique exausto em cima dela e satisfeito, lavei minha alma e o útero da esposa do meu

primo vacilão. Me recompus, arrumei a morenaça, desci a saia subi o banco dei uma

geral e dei partida no carro, acendi os faróis alto e o casalzinho se assustou e

saiu dali, dei ré até sair do estacionamento e parei o carro no mesmo lugar, deixei

minha prima lá e voltei pra festa e fui procurar meu primão do coração, sai no

jardim e lá estava ele conversando com a loirinha, sentados na muretinha que separa

o estacionamento do jardim, cheguei neles e falei que a fulana estava passando mal e

que seria melhor levar ela pro hospital ou pra casa, ele nem se despediu da loirinha

e saiu pisando duro, eu o dirigi até o carro que estava no mesmo lugar que deixamos

na entrada, eu disse pra ele levá-la que eu me virava sozinho, pra não se preocupar

comigo. Ele muito contrariado entrou no carro e saiu.

Voltei pra dentro do salão e não vi a loirinha, passei no bar peguei uma bebida e

fui pro jardim, lá estava ela no mesmo lugar, me sentei ao seu lado e contei a

história, só a parte que interessava, que ele era casado e sua esposa estava mal,

etc. Ela ficou revoltada por ter caído na conversa dele e nem sabia que ele era

casado.

Lhe ofereci a bebida e lhe abracei para conforta-la, sabe como é, nessas horas

mulher precisa de um ombro amigo. Ela começou a chorar as pitangas pois já estava

meio altinha então eu lhe fiz um afago e a puxei e dei um beijo, ela não rejeitou

nem correspondeu, apenas aceitou, foi só um selinho. Ela disse que precisava ir ao

banheiro e eu de uma bebida então levantamos e fomos pra dentro do salão, ainda

tinha muita gente as 4:30. Agora um DJ tocava todos os ritmos para os convidados

mais que embriagados balançarem o esqueleto.

Fiquei perto do barman com um drink na mão quando para minha surpresa chega a

loirinha do meu lado e me pede um gole, eu que achava que não ia rolar mais nada

peguei mais um pra ela e convidei pra conversar lá fora, fomos pro mesmo local.

Conversa vai, conversa vem, quem é quem filha de quem com quem, onde mora etc. Ela

começa a reclamar de cansaço e que já estava pra lá de Bagdá com tanta batidinha,

pensei rápido e disse espera aí que já volto. Me deu um estalo, e fui até um primo

gordo folgado e disse que seu carro estava atrapalhando pra carregarem umas coisas

da festa e me ofereci pra mudar o carro de lugar, o cara com é folgado de nascença

me entregou as chaves, voei pra fora peguei a loirinha abri a porta do motorista e

mandei ela entrar pois ali não dava pra ninguém ver quem estava entrando. Entrei em

seguida e manobrei o carro e fui pro mesmo lugar escuro que estava com a mulher do

meu primo, no ato já me veio na memória o acorrido um pouco antes naquele mesmo

lugar, meu pau já virou uma barra de ferro, a danadinha já estava soltinha pela

bebida então não perdi tempo e parti pra cima da loirinha e foi uma loucura a mina

era muito safada e foi mão naquilo, aquilo na mão, chupada de língua que até parecia

briga de foice no escuro.

Em dois tempos já estávamos sem as roupas, me deitei no banco do carona e ela veio

por cima cavalgando feito profissional, rebolava subia e descia, me deixando cada

vez mais doido, eu chupava seus peitinhos bicudos, queria engolir inteiro, parecia

duas peras, lindinhos, mas a bucetinha estava bem laceada, e pela maestria que

cavalgava dava pra ver que tinha muita experiência. Deitei ela de lado ainda entre

suas pernas martelava contra seu útero sem dó, não tenho pau grande, ta dentro da

média, mas a gatinha fazia parecer que que o que estava dentro dela era um monstro.

Me apaixonei pela guria que tinha pelo menos metade a minha idade. Saí do meio das

pernas pois já estava exausto e como já tinha gozado fartamente antes ia demorar pra

gozar de novo e eu não podia decepcionar a loirinha, peguei ela de conchinha e me

encaixei por trás, com a mão na bucetinha, pressionando o dedo sobre o grelo e com a

palma da mão puxando ela de encontro ao mastro, ficou mais confortável socar tudo

pra dentro daquela bucetinha frouxa. Resolvi arriscar uma pincelada no furico ela

não fez objeção, pincelei mais forte e meti novamente na xoxota, voltei a forçar o

orifício anal e a cabeça entrou, ela não reagiu, só puxou o ar entre os lábios

sentindo uma dorzinha, fiz um entra e sai com a cabecinha ainda massageando o

clitóris fui introduzindo o boneco na caverninha, sem muita dificuldade o magrelo se

instalou no túnel apertado, deixei parado por um minuto enquanto beijava sua nuca e

pescoço, apertando os peitinhos e massageando o grelo, comecei a bombear lentamente

e fui aumentando o ritmo, mais algumas bombadas e ela já rebolava no boneco, gozei

gotoso no fundo da bundinha dela, ficamos grudadinhos até o charuto escorregar de lá

e ser expulso pelo esfíncter, procurei algo pra gente se limpar e achei uma echarpe

no porta luvas, e foi com isso mesmo que nos limpamos. Ficamos mais um tempo

trocando carinhos e número de telefone antes de nos recompor e voltarmos pra festa.

Ela disse que foi a melhor noite da vida dela e que eu era o culpado.

Ela saiu na frente eu fui logo em seguida. Encontrei ela na pista junto com as

amigas e fiquei por perto balançando no ritmo da música que tocava, pensando como

voltar pra casa, pensando em pedir um Uber, pois o sono já estava batendo, sem mais

perspectiva praquela noite quase dia, já passava das 5:00, dia já clareando, chega a

loirinha e me anuncia que vai embora, fiquei um pouco chateado, pois corria o risco

de nunca mais vê-la e eu já estava apaixonado por ela e sabia que era um amor

impossível pela diferença de idade e que isso naquele momento não tinha a menor

importância más depois seria tudo diferente, ela poderia até se arrepender do que

fez e nunca mais querer me ver, pois ali ela estava alterada pelo álcool e eu de

certa forma me aproveitei da situação.

Ela me apresenta sua irmã mais velha, ainda brinquei que devia ser 25 dela e 26 da

irmã, elas riram e a loirinha disse que a irmã tem 20 e ela completa 18 daqui 15

dias, nossa fiquei até assustado, a loirinha ainda era menor de idade, nem sei o que

senti naquele momento, um misto de medo e de papa anjo ao mesmo tempo e nisso chegam

os pais chamando pra irem pro carro e ela me pergunta se vou ficar ainda, explico

minha situação, que eu estava de carona com o vacilão e tal, e pra minha surpresa

ela pergunta ao pai na minha frente se pode me dar uma carona já que eles iriam

passar perto do bairro que eu moro, ele me olhou e disse que sim meio sem convicção,

e partimos dali, eu no banco da frente e as mulheres atrás, só me passava pela

cabeça tudo que tinha rolado entre nós e que estava do lado da família dela e tudo

me parecia muito louco e nesses pensamentos fui deixado na minha calçada vendo

aquele carro virando a esquina lá na frente e um vazio já tomando conta, um frio na

barriga uma angustia e o desejo de ficar o resto da vida ao lado daquela garotinha.

Fui dormir com a cabeça ainda girando, apaguei em meio a pensamentos. Acordo 14:00

no domingo com o celular tocando, vejo que é a loirinha atendo correndo ela me

pergunta como estou eu digo e retribuo a pergunta ele diz bem e com saudade. Minha

cabeça gira uns 360 graus, mal podia acreditar no que aconteceu e no que ainda

prometia aquela confissão de saudade. Pergunto o que ela vai fazer a tarde, ela me

diz que tem que estudar pois tem prova na facul segunda. Tento combinar um encontro

ela diz que só volta pra cá daqui uns 15 dias e que depois agente marca alguma coisa

e se despede. Pronto, voltou minha angustia e o sentimento de perda de algo que

nunca foi seu mas que parecia ter um segundo capitulo mas estava escapando por entre

os dedos. Recebo uma mensagem no WATTS, "Oi sou eu, não to podendo falar, minha irmã

está no quarto, to louca pra ti ver de novo, agora eu tenho que estudar, meu pai vai

me levar pra conxixina (cidade onde ele estuda, uns 200 km daqui) hoje a noite, só

volto daqui 15 dias, infelizmente não vai ter como te ver antes de sair mas vou te

mandar algo pra vc se lembrar de mim e quero que me prometa que vai ficar me

esperando e te prometo que vou me guardar só pra vc até enquanto durar esse amor e

quero que seja muito, beijos". Só respondi "Beijão, TE A M O e te esperarei". E

recebi várias fotos dela na frente do espelho mostrando a xoxotinha os peitinhos e a

bundinha arreganhada e uma nova mensagem, "Olha o meu bumbum nunca mais será o

mesmo, ó o estrago que vc fez". Na foto o olho do cu tava vermelho e parecia meio

afrouxado. Passei dias vendo e revendo aquelas fotos e me matando na punheta e nas

fotos da mulher do meu primo tb. Ahhh e essa historia ainda rendeu muito. Depois eu

conto o resto.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
VIC
11/07/2019 19:20:54
Boa historia, mais forçou a barra com a esposa do primo..rsrsrs
11/07/2019 13:04:58
Gostei bastante, quem não cuida acaba arrumando sócio mesmo, acho que a noite foi muito interessante pra você!! mas no caso da mulher dele, se arriscou bastante, imagine se ela acorda, nem quero pensar. bjs

Online porn video at mobile phone


pasando a mào na buçta da gostosajaponesa sexy taxando xvideo.comcasa dos contos/turbo negro2 parte de eu minha amiga e o pai dela conto herotico helena e renataCasa de Contos fodas a uma cadela pitbull da vizinhaxvideo.magrinha nao aguentou apica do negueo e gritou muito de dorsamara tirando a virgindade da bucetavideos de mulheres ficando toda impinadinha ao perceber a encoxadaxvideo corno filma esposa bebendo caldinho na cabeçavideos de bucetas intaladas na rola grossaJaponesinha dandu u cusinhu pru negam bem dotadu 4xvideos de puta arrolbadamulheres passa margarina uma na outra peladascasa dos contos erótico com a boca cheia de porra do mecânicoeu e minha mãe e minha irmã moramos sozinhos eu tenho 22 anos de idade minha irmã ela tem 18 anos de idade eu tirei a virgindade da buceta e a virgindade do cu dela minha mãe ela sabe que eu fodo minha irmã eu tava com a minha mãe sozinho em casa minha mãe disse pra mim filho eu quero fuder com você ela me levou pro seu quarto eu fudi sua buceta e seu cu conto eróticcontos eroticos dominada na frente do meuvideo porno chamei meu genro para mim ajudar e dei para elemulher não transa com pauzãoooolevantou a saia deixou enfiar o pau e batendo punheta pata o marido videoo homem que estourou o cabaço de uma cabrasexo forsado com shortinho jeansmeninas novinhas galeguinha indo até o chão de calcinha fio-dentalvídeo caseiro esposa transando com boneco que tem o pênis da grossura de uma Coca com garrafa de coca-colapegei miha cinhada conto eroticolesbicoAliviando os funcionarios contos eróticosporno caseiro dupla penetraçao ela fica brava porque doeu o cuXVídeos menininha de 15 levando ponbada no sacoxvideo mae fica em talada#tio rumenina muito novinha vai assistir filme porno com seu irmão caralhudo e acaba deixando ele tirar sangue de sua inocente bucetinhacontos eroticos assediada pelo cunhadosogras manipuladoras contos eroticosvídeo de sexo brasileiro padrasto inventa que tá a Baby enteada Leva ele para o quarto chega lá e chupa a buceta dela e goza no cunovinhas acocoradas com celular na mão mostrando a bucetaPatricinha transando com pm parte 2 contos erotivoscornossubmissocontocontos com fotos encoxada no ônibuscontos com fotos encoxada no ônibusbuceta d penuarnovinha estruprada e anal aforca ogrigada wdentiada dormindo o padrasto xegaele sarou tanto q minha piriquita inxou conto eróticovideos de novinha gozando pelo orificio urinariocache:FXezWFwrF6IJ:zdorovsreda.ru/texto/2014021511 contos shamiranal normalistacontoseroticos/comadre rabuda#contos eroticos sozinhavideo a "crente bundeira"contoseróticos invasão anal 3quero ver XVídeos mulher embebeda e dois homens comendo por causa do Mau com marido dormindocontos erotico cuidador d creche d menina chupando buceta d menina d 7acostos eroticos madrasta come cu de enteado com pintopassando a mao no decote e chupando os peitosvideo porno amigo do meu marido me comeu e fingi que n percebicontos sobrinha meu presente2virando a buceta do averso com pauzao monstrocontos eroticos barbeiro cortando cabelo de mulherconto gay o nifeto do meu maridovídeo pornô das crentes do pinto grande e cabeluda f****** e g******www.contos eroticos cunhado caçula pauzudo come cu da cunhada gostosacontos lesbicos com vibradorisso papai soca fundoomem mostra o penis de 25 centimitroDois pastores fuderam contosxpornp mae se surpriende com pau do filhoporno medico da nestesia pra mulher e ela dorm e ele faz oqie qyiser com elahttp://comto erotico comendo cú menina crentedois negros de 40cm de pau no rabo da intiada e sublinhamundobicha chupando pau na infanciavideos novinhas fazendo sequioso e gozandopastor roludo conto sexoporno gay conto paibebadoporno doido trannza durode saiacrente safada contoscontos eroticos encoxadaloirinha de 18 anos com a b***** raspadinha grelo arrepiadonovinha gretano de tanto goza com u paivarias fotos de sogras gostosas se putiando pro genrofudeno bucetas e gozando nas entradinhascontos aiiiii hum aiaiaXxvido forçandafei a buceta pro meu primo mais novo contos eroticosmeu marido adora leva porra na portinhaa do cu