O Sibilino I

Um conto erótico de Irish
Categoria: Homossexual
Data: 06/04/2015 16:48:05
Nota 9.71

1902

Na epoca em que Luiz Alfredo Fleury acabara de regressar de Paris, eu estava noivo de Georgiana havia quase dois meses. Para mim, foi como a surpresa de um mundo novo, vibrante e enlouquecedor a chegada daquele jovem louro e exuberante que, de braços dados escandalosamente com seu amante Emanuel, exibia para quem quisesse ver a sua conduta sexual que chocava a todos.

Ele era o filho unico de um casal descendente da aristocracia carioca, dois primos que se casaram para deixar a fortuna entre a familia. Quando Luiz Alfredo tinha doze anos, seus pais faleceram num acidente estupido com uma balsa que acabou virando na baia da Guanabara durante um passeio. Ele, entao, foi mandado à Paris para estudar e viver com uns parentes distantes, e agora, dez anos depois, retornava com seu curso de Direito incompleto, o amante à tiracolo, e muita soberba.

Eu contava entao vinte e tres anos. Um advogado recem-formado, entre tantos, com clientela razoavel, noivo sem paixao nenhuma de uma moça nervosa, ciumenta e esquisita. Eu mesmo nao sabia o que de fato me prendia à ela. Talvez uma divida de gratidao com seu pai, que me abrira as portas de seu escritorio assim que me formei, possibilitando que lá eu trabalhasse. Entrando para aquela familia, eu esperava um progresso rapido e facil, e apenas isso, talvez, me fazia aturar minha noiva.

Assim que o jovem Fleury chegou ao Rio de Janeiro, se estabelecendo no palacete que pertencera aos pais, na Gavea, foi dada uma festa suntuosa da qual nao participei, mas que ouvi muito falar por varios dias. O escandalo que era a relaçao daquele bacante com o outro, Emanuel, deixou os cariocas perplexos. Deram- lhe apelidos grosseiros: "meretriz", "hermafrodita", "Madame Lu", descrevendo sua festa como o inferno na Terra, um bacanal, Sodoma revisitada num recanto pacato e luxuoso da Gavea.

Mas eu apenas tive a honra de ve -lo na ocasiao da apresentaçao de La Traviata, cerca de quinze dias depois. O teatro lotado, à espera da opera que viera de Roma para uma temporada de apresentaçoes, fervilhava de elegancia. Reservei com antecedencia o camarote para Georgiana, meus sogros e eu, e em meio à sobriedade dos fraques, das cartolas, dos vestidos espartilhados, e à sombra opulenta dos camarotes, pude entao divisar o magnifico rosto do jovem pederasta que chocava nossa sociedade.

Disfarçadamente, assim que começou o espetaculo, meu binoculo seguiu Fleury, estando eu previamente informado de suas caracteristicas. Estavam ele e o sujeito que julguei ser Emanuel num camarote à minha esquerda, observando com o binoculo as pessoas e rindo entre si. Fleury era maravilhoso, louro, de traços delicados, alto, um porte de nadador; Emanuel era moreno, um ar debochado, imberbe, e tambem muito bem apessoado.

- Vejam! Aquele sodomita... _ disse Georgiana com desprezo, abanando -se com o leque de renda perolada; me fitou com superioridade _ E esta olhando para voce, Julio! Que devasso esse rapaz! Jà o detesto sem conhece-lo.

De fato, Luiz Alfredo nos observava com curiosidade, alheio ao espetaculo. Sua mao na luva branca tamborilava levemente o parapeito de carvalho do camarote, enquanto a outra segurava o binoculo. Tirou-o, de repente, e me olhando diretamente no rosto, esboçou um sorriso vago e estranho, especie de ironia desenhada em seus labios bonitos. Meu rosto esquentou de rubor, e debaixo da cartola minha testa cobriu-se de leve suor frio que nao pude compreender.

Terminado o espetaculo, esforcei-me para chegar perto dele. Queria ve-lo melhor, dominado por uma certa curiosidade compulsiva. Nao foi dificil acha-los, pois todos os evitavam, como se ambos fossem cachorros sarnentos. Entretanto eles là estavam, de braços dados, altivos, com uma expressao de constante cinismo e desafio. De subito, no meio do corredor esfumaçado que levava à saida do teatro, a voz alta e impertinente de Fleury se fez ouvir.

- Um minuto, senhores! _ disse ele, olhando todo aquele povo rico e vulgar que os fitava com espanto, asco e raiva _ Apesar de saber que, infelizmente, muitos aqui tiveram pessima impressao em minha festa de recepçao, dias atras, quero convida-los para uma ceia logo mais, em minha casa. Algo bem "comportado", que espero nao os desagradar.

- Voce ainda esta ai! _ disse Georgiana, vindo atras de mim e me pegando pelo braço _ Venha. O coche esta esperando e papai esta com sono.

Enquanto ela tentava me arrastar consigo, ainda pude encarar Fleury por mais um segundo, sua figura alta, de fraque preto e cartola, a bengala de cabo de prata tocando o chao, seu olhar de um azul translucido carregado de ironia e desprezo observando toda aquela gente que o odiava, e Emanuel ao lado. Ele me olhou uma ultima vez e pareceu sorrir levemente, numa mistura rapida de zombaria e curiosidade, enquanto eu era puxado para fora do teatro como um menino desobediente.

*

*

*

De volta, e voltando no tempo ainda mais, na chamada belle epoque, onde a superficialidade de uma elite que idolatrava a França era evidente (e ridicula, convenhamos).

Espero que curtam, amigos!

Abraços!


Este conto recebeu 0 estrelas
Estamos testando um novo formato de votação. O ranqueamento será feito não mais pela média, mas apenas pela soma das notas oferecidas. As notas também serão apenas de uma, duas ou três estrelas. Isso deve evitar que haja quedas repentinas do ranking por conta de ataques por alguém que queira manipular os resultados. Se tiverem dúvidas, .

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/04/2015 02:47:52
Ain... Como tu consegues prender o leitor hein? Nossa, que espetáculo, de fato eu estou amando já.kkkk confio em ti... Vamos que vamos.. Rs
12/04/2015 22:31:12
Sem comentários
07/04/2015 19:13:00
kkkkkkkkkkkkkkk tipo aula de3 história #MORRI
07/04/2015 06:44:01
Jesus! Maria e José! Continue o mais rápido que puder! Pelo amor de Deus. Perfeita a historia, a escrita, a ambientação, a autora, enfim, tudo!
06/04/2015 23:06:05
Eu já ia reclamar que vc naum tinha avisado, mas vi o seu pedido de desculpas adiantado rsrsrs Amo a maneira pela qual você escreve. O gaydar do Fleury está super ligado. Georgianna chata aff rsrs O boy narrador é o típico novo gay enrustido, gostei dele.
06/04/2015 22:30:52
JesusMariaeJosé! Continue o mais rápido que puder! Pelo amor do 100or. Perfeita a historia, a escrita, a ambientação, a autora, enfim, tudo!
06/04/2015 19:54:29
muito bom!!!
06/04/2015 16:51:59
Gente, quem me acompanha sabe que posto todo dia,,mas nao posso prometer isso agora. Minha net esta falhando ha dias, portanto... Quem tiver preguiça de pesquisar,,sibilino quer dizer o mesmo que enigmatico, misterioso. Quin, caso leia,,desculpe nao avisa -lo da postagem. Resolvi de ultima hora, impulsividade geminiana :)

Online porn video at mobile phone


casadoscontos estrupada por pivetescontos erotico amamentei dois garotostoinha jovem linda siririca xvideosmai ensenado a filha. chupar a pica. do paivideo de sexo amador olaine gratis assistir sem elas peceberconto erotico calcinha aparece da minha mulhernovia fudeno com escadloquero ver mulher caminhando na rua de bermudinha curtinha da bunda bem grande bolinha balançando agoramaldiçao da clareira da cadelavideo de namorado fasendo gostozinhopregacao tema a mulher de suzemgostosa do rabo ggg de fio dental de vestido levantou o vestidocontos eróticos meu namorado me amarroue vendou e chamo os amigoscasaraoxvideosorgasminho loko pornocontos lesbicos e penitencia no conventocobertura conto gaypadrasto enteada falei de sexo brasileiroComeno buceta lizinha com olhovídeo de pouno estupos virgam miganhacache:gSqqIFTr6BkJ:zdorovsreda.ru/texto/2014111101 1000 fotos de lesbicas arrombadas esguichando juntasbuceta da linguonacontos eiroticos leilaporntia ensinando osobrinho acome bocesta seso videu reau azeiropai do pau cabesudo atlando na buceta da filhavaldir.piricudonovįnha do sexo anal tuContos eróticos procurando aventura no clube de camponovinha da barriga do umbigo fundinho lindo trepando XVídeosvelha babenta no pau chupando videovvgg sexocomendo o moto taxi no mato contos erodicosPorno.doidsexoContos eróticos noviças gostosonas dando o cuzinho no conventonovinhas esfregando buceta na sela do cavalo videos de porno doidoContos.Ingravidei.minha.irmanpaguei mas gozei gostoso na filha evangelica da empregada minha contoscontos eróticos eu****** minha mãe gostosa na praia de nudismotia gostosas foder com subtilvervideo .e ncoxada.nuonibusconto erotico passei a menina de calcinhatio tirano vijidade de cobrinha no yotubconto erotico gay negao dominador gosta de maltratar viado brancoPeito bunda echupa piroca e chupa pererecamulher ameaçando cagar com o pau no cu videos pornorelatos de sexo meu cunhado não resistiu quando me viu só de fiodentalmulher casada do Rio de Janeiro Baixada Fluminense Nova Iguaçu fala para o marido que quer dar para outro para ele ficar olhando ela metendo com outroPrima da o cu para o primo que tem um pau que mede 26cmchupei as rolas dos moleques da minha rua; contos eróticos1tesao na cuecaporno lesbicas forcam colega a lambelasvídeos de sexo de contos na sacristiamulher casada realisando fantasia e da pra dois negao dt porno doidoyoutube tarado comeu sobrinhas sexaul tirado a roupa nuasconto gay guilherme e felipe xxvideosnovinhas virgem inocente com muito medoxvideos dificil pra vc lukanegao que empurrou quarentta sentimetro na magrelagoza dentro da bucetonaxxvedeo estropadoe es tropando molherisConto erotico porteiro roludo bisexualcalça legui caladinha na casada xvideoloira com a b***** desenhada na calça jeans e o negão ponhando pau no meioPonodoido dilação de xotaconto erotico huntergirls71padrasto covarde dano o pau pra sua entiada de nove anos chuparpai chupa a buceta da filha e éla bufa de tezâomae.minto.safada.e.bunduda.fodendocontos feminização forçadaconto alisando a sobrinha pequenaprica cavalaeu e minha mãe fudemos com o pedreiro e seu ajudante opa escurreguei na pica gayconto erotico calcinha aparece da minha mulherrealizei minha fantasia com meu tio e seu amigo negâohistória e fotos sogra bêbada queria presente de aniversário dar o c* a vida amigos do genroconto erotico gay viado submisso vira femea do negaoconto erótico minha sogra me deu na quarentenagey novinho afeminado tem ate peitinho senta gostoso na pica do padraste geme rebola e adoracoletania de corno com vekhas bundudas que gritam na picaPadrastro fódendo o çuxvideo..maninho do caralhaocontos crente casada quis experimentar no cu e se arrependeucontos incesto mae gtsAlentejano velho caralhudoputa lambe pe do macho conto