O amigo do meu irmão #20 (O evangélico e o stripper...) Ultimo Capitulo.

Um conto erótico de Diogo (Patrick)
Categoria: Homossexual
Data: 28/11/2014 00:34:51
Última revisão: 19/04/2015 02:25:24
Nota 10.00

“Podia ser tudo simples

Mas você prefere dificultar...

Amar você é como uma batalha

E nós dois terminamos com cicatrizes

Diga-me, quem eu tenho que ser?

Pra que eu sinta que você se importa com meus sentimentos.

Ninguém te ama mais do que eu

E ninguém nunca amará...

Não importa o quanto eu ache que crescemos

Você sempre parece me deixar saber que não está dando certo

Não está dando certo...

E quando eu tento ir embora

Você se machuca para me fazer ficar

Isso é loucura...

Você deixa passar e eu também

Porque ninguém me machuca

Mais do que você e ninguém nunca machucará

Se importe comigo...

Eu sei que você se importa!

Você disse que sempre estaria do meu lado.

Chore por mim...

Você disse que morreria por mim.

Dê seu amor pra mim.

Por que você não vive por mim?”*Narração do Rafael.

Já havia passado duas semanas que meu amor e meu filho haviam ido embora, eu estou sentado no sofá de casa, esse silencio é a pior tortura do mundo, sem o som da risada do Diogo, sem ele dançando no tapete, sem o Davi vendo seu desenho sentadinho no sofá, sem o cheiro do café do Diogo. Como eu pude me deixar levar pelos ciúmes e perder tudo o que eu mais amei? Como eu ainda consegui me manter de pé? Eu só vejo o Davi nos fins de semana, sempre que eu me aproximo do meu amor meu coração dispara e me sinto como um adolescente apaixonado, mas ele ainda esta tão machucado quanto eu.

Há algumas semanas ele me contou o que aconteceu no hotel, do beijo que o tal do Allex roubou dele, quando ele me contou isso eu acabei surtando, tive uma crise de ciúmes, eu gritei com ele, disse coisas horríveis pro meu marido, joguei varias coisas na cara dele, disse coisas que eu sabia que o magoariam profundamente e tudo isso na frente do nosso filho, nosso pequeno até chutou minha canela tentando defender o Diogo. Eu disse coisas que o fizeram chorar, ele me olhou como se não conhecesse aquele Rafael que estava na sua frente, eu tentei me redimir, mas já era tarde demais, ele não disse nada, apenas foi pro quarto e fez a suas malas. A imagem dos seus olhos marejados e das lagrimas rolando pelo seu rosto era uma facada no meu coração, e o pior é que ela não saia da minha cabeça.

(Algumas semanas atrásAonde você vai? – Disse eu assim que ele saiu da sala chorando. – ME RESPONDE!

Ele fuçou o armário e pegou duas malas, abriu a sua parte e jogou quase tudo dentro de uma.

-Você não vai me deixar, não assim! – Disse eu tentando desfazer as malas dele, ele me empurrou e continuou fazendo sua mala, ele olhou pra porta e percebeu o Davi olhando toda aquela cena.

-Filho... – Disse ele indo até o Davi e se ajoelhando na sua frente. – Pega as suas roupinhas, seus sapatos e coloca dentro da sua mochila da escola tá? Mas tira o caderno antes viu?

-Papai porque você esta chorando? – Perguntou o Davi limpando as lagrimas do rosto do pai.

-Só faz o que eu te mandei tá? Depois eu vou lá te ajudar! – Disse o Diogo segurando a mão do Davi e dando um beijo na palma.

-Tá. – Disse meu menino indo pro quarto.

-Você vai levar ele? Não, você não vai! – Disse eu tentando ir até o quarto do Davi, mas ele entrou na minha frente. O jeito como ele me encarou me deu medo, eu sempre soube que ele fica meio “feroz” quando mexem com o nosso filho, mas naquele momento eu fiquei com medo dele, ele me encarou até eu voltar a me sentar na poltrona. Diogo voltou a fazer suas malas, ele as fechou e o barulho daquele zíper se fechando fica ecoando na minha cabeça até hoje. Ele levou suas malas pra sala e foi ajudar o Davi a fazer as dele, voltou com o Davi no colo e uma mala na mão.

-Pra aonde vocês vão? – Disse eu parado na frente da porta, ele me empurrou e abriu a porta, levou as malas pro elevador.

-Papai, você não vem? – Perguntou o Davi me puxando pela mão, eu me abaixei e o apertei em meus braços, dei um beijo em sua bochecha e o deixei ir.

-Diogo, por favor... – Disse eu sentindo meu olhar embaçar por causa das lagrimas. – Amor, não me deixa.

-Eu vou tirar esse tempo pra esfriar a minha cabeça, eu não estou te deixando. – Disse ele entrando no elevador com o Davi.

Quando aquela porta se fechou eu caí em um choro compulsivo, me apoiei no batente da porta e fui escorregando de costas até sentir minha bunda tocar aquele chão de mármore gelado, e assim fiquei ali por longos minutos chorando, eu sequei minhas lagrimas e entrei, fechei a porta e me sentei no sofá, fiquei encarando o nada e pensando “Como vai ser de agora em diante?”*Narração do Diogo.

Eu já tinha colocado minhas malas e do Davi no carro e estava indo em direção ao meu antigo apartamento, era pequeno, mas pelo menos daria pra mim e pro Davi, por enquanto...

Eu estava dirigindo e sentindo as lagrimas escorrendo pelo meu rosto, aquele IMBECIL, IDIOTA, GROSSO. Agora ele vai ter o gostinho de perder tudo, ele precisa aprender a dar valor a nós, sabem? Eu fui sincero e verdadeiro com ele, eu poderia ter escondido que meu ex me roubou um beijo, mas eu quis ter minha consciência limpa e não deixá-lo ser o ultimo á saber das coisas e o que ele faz? Grita comigo, me magoa, diz coisas horríveis e profundas e tudo isso na frente do nosso filho, eu poderia ter terminado tudo com ele, poderia ter escolhido viver a minha vida, mas eu amo ele, sempre vou amar e eu sei disso, tanto que meu coração esta doendo como nunca só de deixa-lo pra trás, eu tenho vontade de beija-lo e fazer amor com ele, sei que toda essa briga seria esquecida depois que nos entregássemos um pra o outro, mas nós precisamos esfriar nossas cabeças, eu vou voltar pra ele, eu sei, mas ele precisa dar valor à família que ele tem. Droga, eu amo tanto o meu homem.

-Papai... Não chora, a gente vai voltar pra nossa casa! – Disse o Davi, eu olhei pra trás pra ter certeza que era ele mesmo que tinha me dito aquilo, como ele pode ser tão esperto? Eu estiquei meu braço e fiz um carinho em seu rosto, ele segurou minha mão e pressionou minha mão contra seu rostinho.

-Eu sei bebê, eu sei... – Disse eu voltando minha atenção pra estrada. – Mas já que eu estou chorando, acho que ninguém aqui vai querer ir à sorveteria né? Kk’s – Disse eu rindo.

-Eu quero, papai. Eu quero!! – Disse eu quase tendo um enfarte na cadeirinha. Kk’s.

Eu parei o carro em frente à sorveteria, coloquei meus óculos escuros, afinal não queria que ninguém me visse com os olhos inchados, peguei meu menino no colo e entramos, como eu sempre parava ali com o Davi depois da escolinha os funcionários já conheciam nós dois.

-Boa tarde Diogo! – Disse o Cezinha, o atendente que sempre dava uma bola de sorvete a mais pro meu menino, ele tinha uma filha e brincava dizendo que ela seria namoradinha do Davi. – Você aqui no sábado?

-Boa tarde Cezinha... Vim trazer meu menino pra tomar um sorvete né filho? – Disse eu colocando ele no chão.

-Tio Cezar, eu quero esse aqui ó! - Ele escolheu uma cestinha e colocou três sabores diferentes de sorvete com varias coberturas e doces diferentes.

-E pra você o de sempre né Diogo? – Disse ele sorrindo.

-Como sempre kk’s. – Disse eu, ele pegou um pote grande de sorvete de açaí com banana. Eu paguei e me sentei em uma mesa, estava distraído conversando com o Davi e mexendo no meu celular.

-Posso sentar? – Perguntou alguém, eu levantei meus olhos e vi que era o Erick, um amigo dos meus irmãos, que sempre implicou muito comigo.

-Claro... Que não! – Disse eu, o Davi começou a rir. – Tô brincando, pode sentar!

-Engraçadinho como sempre né? – Disse ele se sentando ao lado do Davi que olhava pra ele com cara feia, não sei por quê. – Eaê molequinho, como você esta?

-Meu nome não é molequinho, é Davi! – Disse ele, eu mal reconheci meu filho naquele momento.

-Tudo bem então, como você esta Davi? – Perguntou ele todo sorridente, meu filho virou o rosto e voltou a comer seu sorvete, o Erick ficou me encarando como se perguntasse: “Tal pai, tal filho?”.

-Ele só esta um pouco mal humorado... – Disse eu super envergonhado.

-Percebi. Esta tudo bem contigo? – Perguntou ele me olhando com os olhos franzidos.

-Tudo ótimo! – Disse eu sorrindo, ele aproximou sua mão do meu rosto e tirou meus óculos, ficou me encarando, eu peguei meus óculos das suas mãos e coloquei de volta.

-Qual é o problema?

-Nada, só uma discussãozinha com o meu marido, mas é bobagem! – Disse eu forçando um sorriso.

-Eu sempre soube que aquele branquelo ia te magoar... – Disse ele arqueando uma sobrancelha.

- Se você falar assim do meu MARIDO outra vez, eu juro que te reboco de porrada até lá fora! – Disse eu. – Eu estou bem, nós estamos bem, foi só uma discussãozinha boba.

-Não parece, eu te conheço desde que você era um garotinho cabeçudo correndo pela rua, jogando bola com seus irmãos e os moleques lá da rua, descalço e magricelo kk’s.

-Idiota...

-Aquele branquelo do Rafael não merece ter essa família linda. – Disse ele, mas foi surpreendido pelo Davi dando várias tapas e socos no braço dele.

-Não fala assim do meu pai! – Disse ele, eu o segurei e o fiz se acalmar.

-Esse é bem seu filho mesmo né? – Disse ele rindo.

-Pois é! Kkk’s – Disse ele.

-Olha, eu quero que você saiba, se você precisar de qualquer coisa, um lugar pra ir, um ombro amigo, um conselho ou qualquer coisa do tipo, pode contar comigo ok? Eu vou estar lá pra você! – Disse ele colocando a mão sobre a minha, na hora que eu ia tirar a minha mão debaixo da dele e mandar ele “Tomar no cu, se fuder, xingar ele de todos os palavrões que eu conheço e até quem sabe dar umas porradinhas nele”, o Erick se levanta de repente e começa e tirar o sorvete das calças.

-Ops, foi sempre querer, me desculpe... – Disse o Davi rindo como um bobinho. Parece que meu menino tinha jogado sorvete no Erick.

-Tudo bem molequinho, olha, eu vou em casa pra trocar de roupa, depois a gente se fala Diogo! – Disse o Erick bufando, pude ver a raiva nos olhos dele, ele saiu da sorveteria e eu fiquei sem saber o que fazer e muito menos o que pensar, nossa, o Davi é tão ciumento quanto o Rafael, meu Deus, era só o que me faltava.

-Davi, foi muito feio você ter jogado sorvete no Erick! – Disse eu o encarando, ele fez aquele beicinho que me derrete, mas dessa vez eu não amoleci. – Eu estou MUITO decepcionado com você, muito mesmo! Eu esperava isso de qualquer um, menos do meu próprio filho!

-Eu sei, desculpa papai... Foi sem querer, caiu da minha mão! Mas você namora o papai e aquele moço que estava aqui estava querendo paquerar você! Me desculpa, mas é porque eu não gostei dele! Eu te amo papai, desculpa. – Disse ele abraçando meu pescoço.

-Ok, eu vou fingir que acredito! – Disse eu. – Mas que isso não se repita ouviu?

-Tudo bem papai, desculpa. – Disse ele. -Pai, compra outro sorvete pra mim?

-Eu não devia, mas como eu ainda tenho o meu e não ia te deixar me vendo comer, eu compro! – Eu chamei o Cezinha, ele fez outra cestinha pro Davi e ele atacou com tanta fome quanto à primeira.

Nós terminamos nossos sorvetes e voltamos pro carro, eu ainda estava machucado por estar deixando meu amor, mesmo por um tempo. Nós descemos em frente ao prédio do meu antigo apartamento, eu nunca vendi ou aluguei aquele apartamento. Lá só tinham uns moveis meus e algumas roupas no armário. Nós subimos as escadas com as malas, eu abri a porta e tudo continuava do jeito que eu lembrava, eu havia feito uma faxina nele algumas semanas atrás, por isso ele estava bem limpinho.

-Essa é nossa casa nova? – Perguntou o Davi entrando no apartamento todo desconfiado.

-Não, a gente só vai ficar aqui um tempinho. – Disse eu levando as malas pro quarto e me jogando na cama, ele veio e se deitou ao meu lado com a cabeça sobre o meu braço, se esticou e colou seu corpinho no meu, se aconchegou no meu peito e pegou no sono, eu liguei a TV do quarto e fiquei ali vendo TV e sentindo meu menino ressonando ao meu lado, acabei pegando no sono também. Acabei acordando com o Davi se mexendo, eu abri meus olhos e vi que ele estava acordado e me encarando.

-O que foi filho? – Perguntei eu.

-Você é tão bonito papai. – Disse ele sorrindo.

-Ownn, obrigado meu amor! Você que é lindo. – Disse eu enchendo seu rostinho de beijos, ele só ria.

- Eu estou com fome!

-Então vamos procurar alguma coisa pra gente comer. – Disse eu me levantando da cama.

-Não, eu quero misto quente. – Disse ele.

-Então vamos comprar pão, queijo e presunto, nós mesmos vamos fazer nossos mistos! Mimadinho do papai! – Disse eu pegando ele no colo e tirando ele da cama.

-Mas eu quero o misto quente do papai. – Disse ele.

-Eu também quero, mas o papai Rafael não esta aqui! – Disse eu.

-Eu tô com saudade dele, eu quero meu pai. – Disse ele, como eu vi que ele ia começar a chorar eu abracei ele bem forte.

-Você quer ir ficar com ele? – Perguntei eu com o coração partido, eu sei que vai doer ter que deixar meu filho, mas se ele escolhe ficar com o Rafael, quem sou pra impedir? Eu prefiro estar infeliz e ver meu menino feliz.

-Não pai, eu quero que vocês fiquem juntos. – Disse ele. – Vocês sempre brigam, por quê? Porque vocês não param de brigar? Brigar é feio! Você sempre me diz que briga é coisa de quem não sabe conversar como gente, mas vocês vivem brigando!

Nossa! Que tapa na cara que ele me deu, uma tapa sem mão! Naquele momento eu percebi o quanto nossas brigar são prejudiciais pro nosso filho. Eu nem tive palavras pra responder ele, apenas suspirei e sorri pra ele, aquela foi a primeira vez que eu não tive resposta pra algo que ele me perguntou. Eu me senti péssimo, um sentimento horrível de missão falha, eu falhei como pai! Ter meu menino me pedindo, quase me implorando pra parar de brigar com meu marido, me mostrando que eu caio em contradição! Nunca me senti tão culpado em toda a minha vida, tão envergonhado!

.

.

.

Nós tínhamos acabado de voltar do mercado, a geladeira e os armários estavam vazios, as únicas coisas que tinham nos armários eram alimentos não perecíveis como arroz, feijão, açúcar e sal. Eu fui ao mercado e voltei com varias bolsas. Arrumei tudo em casa lugar, enchi os armários e a geladeira. Davi estava na sala comendo seu misto quente e tomando seu achocolatado e o escravo aqui estava lavando as louças do lanche.

-Papai, eu lavei o meu prato e minha caneca! Lavei pra te ajudar... – Disse ele trazendo seu pratinho limpo e a caneca limpa, eu fui até ele e peguei seu pratinho.

-Aonde você lavou isso bebê? – Perguntei eu levando o prato até meu nariz. – Você lavou com sabonete?

-Lavei na pia do banheiro com o sabonete! – Disse ele todo sorridente, eu dei um selinho no biquinho dele e sorri.

-Que fofinho meu menino me ajudando a lavar a louça, já é um homenzinho independente! – Disse eu sorrindo pra ele, uma vez ele quis me ajudar a lavar a roupa e lavou sua própria cuequinha, foi muito fofo, mas seria muito mais se ele não tivesse lavado ela no vazo sanitário usando meu shampoo, mas ele ficou tão feliz ao me mostrar que tinha lavado sua roupinha que eu nem tive coragem de brigar com ele por ter colocado as mãos na água suja do vazo.

Meu telefone começou a tocar, o Davi correu no quarto e pegou ele pra mim.

-É o tio Fabio! – Disse ele, Fabio é um amigo meu e do Rafa que ia se casar no dia seguinte, com toda essa “situação” eu até me esqueci do casamento do “Fabin”.

-Fala meu amor! – Disse ele assim que eu atendi.

-Eaê amor, tua mulher já te botou no cabresto? Kk’s – Disse eu rindo.

-Ainda não, mas tu sabe que eu amo ela né? Kkk’s Amo muito minha baixinha. – Disse ele.

-Hmm... Que bonitinho, gamadinho! Kkk’s Tá me ligando por quê? Já te falei que o programa é 200,00 e tu é pobre, não pode pagar meu preço! Kkk’s

-Mas tu disse que ia fazer um preço camarada se eu levasse mais dois amigos lembra? Kkk’s Tô brincando, olha, você vai ao meu casamento amanhã?

-Já é amanhã? Caralho, eu nem peguei minha roupa ainda! – Disse eu completamente assustado, eu esqueci que era amanhã, eu achei que fosse semana que vem.

-Porra, tá vendo? Você já ia me dar um bolo! Liguei pro teu machinho e ele disse que vocês estão dando um tempo, cara, é o dia do meu casamento! Não quero meus melhores amigos distantes, se acertem gente!

-Nós só estamos tirando esse tempinho pra esfriar a cabeça, colocar alguns pensamentos no lugar sabe? Mas isso vai se resolver com o tempo!

-Espero que sim! Mas mudando de assunto, a Bia mandou dizer que se você não for ao nosso casório ela vai até a tua casa vestida de noiva e vai te dar uma surra de buquê e eu vou te dar uma surra de piroca! Kkk’s

-Kkk’s Acho que vou preferir a surra de buquê kk’s Eu não gosto de coisa pequena!

-Tanto faz, mas não esquece que todos os homens têm que ir de traje á rigor ok? Nada de aparecer com camisa social e essas coisas... Tem que ir de smoking, gravata a porra toda! Pra ficar bem bonito! – Disse ele, nós nos despedimos e eu fui ver se tinha levado o terno nas minhas malas, eu fucei nas duas e encontrei-o no fundo de uma das minhas malas, eu me lembro de ele estar por cima das minhas roupas no armário, acho que eu joguei na mala e nem percebi, ele estava por cima no armário justamente porque eu ia usar ele no casório do Fabinho. Meu smoking preto com a minha gravata borboleta, eu vesti ele e fui pra frente do espelho, gostei MUITO do que vi, eu realmente fico bem vestido assim, do nada veio um pensamento maldoso na minha cabeça “Eu adoraria ter o Rafa aqui pra me ver assim tão sexy e depois tirar esse smoking”.Eu liguei pra minha mãe e perguntei se ela podia ficar com o Davi no dia seguinte porque eu não ia leva-lo pro casamento comigo, isso é lógico e minha mãe sendo a avó coruja que é, aceitou numa boa.

Eu fui à barbearia do Alexandre, ele corta meu cabelo desde que eu tinha a idade do Davi, ele é um amigo de muito tempo do meu pai, só ele corta meu cabelo da forma que eu gosto, aproveitei e cortei do Davi também, ele ficou quietinho cortando, foi tão fofinho que eu até tirei uma foto e postei no Insta com uma legenda cheia de emoticons fofos.

Voltei pra casa e fiz uma limpeza de pele, o Davi ficou rindo da minha cara com o creme cor de lama, esfoliei meu rosto no banho e dei banho no Davi também, ele passando o sabonete no corpinho e lavando o cabelo com shampoo é muito fofinho. Eu sou um pai muito bobo, fico derretido com qualquer coisinha que o Davi faça, acho até o peido dele fofo kk’s. Minha pele ficou maravilhosa, eu fiz a sobrancelha morrendo de medo do Davi vir correndo, esbarrar em mim e me fazer falhar a sobrancelha, mas ele só ficou olhando sentadinho na pia.

-Ficou legal filho? – Disse eu quando terminei de fazer a sobrancelha.

-Uhum, esta sim! Faz em mim também? – Pra não deixar ele contrariado, eu fingi que fiz, mas só passei minha unha na sobrancelha dele, ele ficou paradinho de olhos fechados. Quando eu terminei ele foi olhar no espelho. – Esta a mesma coisa pai!

-Não filho, eu fiz assim pra ficar bem natural! – Disse eu dando um beijo na testa dele e o descendo da pia.

No dia seguinte eu o levei pra casa dos meus pais no final da tarde, ele dormiu a viagem inteira e dormiu no meu colo quando eu o tirei do carro. Meu pai já esperava no portão, eu deixei meu menino lá, deixei uma mochila com as coisinhas dele, dei um beijo na testa dele e parti de volta pra casa, meu pai não sabia que eu e o Rafa estávamos brigados e se depender de mim nem vai saber. Meu pai é meu herói, meu rei. Mas ele se mete muito na minha vida e se descobrir que eu estou dando um tempo com o meu marido, ele com certeza vai fazer um interrogatório! Minha mãe não, ela é super tranquila com a minha vida conjugal, ela sempre diz que tudo se ajeita com o tempo, se não for pra ser, não vai ser. Mas se for pra ser, sempre vai dar certo no final.

Eu entrei em casa e fui direto pro banheiro me barbear, fiquei com o rosto lisinho como o de um adolescente! Tomei um banho bem demorado, queria ficar bem relaxado! Coloquei minha cueca e passei hidratante em todo o meu corpo. Passei hidratante de rosto no meu rosto é lógico ¬¬ Coloquei meu smoking e passei meu perfume. Fui pra frente do espelho e fiquei me admirando kk’s Quem nunca?

-Que gostoso... – Disse eu, narcisista? Claro que não... Kk’s.

Comi alguma coisa, escovei meus dentes e sai. Entrei no carro e fiquei respondendo algumas mensagens antes de sair com o carro em direção á igreja, eu já estava em cima da hora. Quem tem que chegar atrasada é a noiva, não eu! Mas fazer o que? Eu sempre me atraso pra tudo!

Estacionei meu carro em frente á igreja do outro lado da igreja, ajeitei meu smoking e sai do carro, meu amigo estava lá na porta da igreja andando de um lado pro outro.

-Acho que ela não vem viu? – Disse eu chegando por trás dele, ele se virou e me encarou rindo.

-Claro que ela vem, tu acha que ela perder um partidão como eu! – Disse ele me abraçando e me levantando no ar. Ficamos conversando e rindo até que mandaram ele entrar e esperar no altar, eu fiquei em uma roda conversando com uns amigos nossos que estranharam eu não estar junto com o Rafa já que ele é meu “guarda costas” como eles sempre nos zoaram.

Estava uma conversa animada até eu ver o carro do Rafa estacionar atrás do meu, ele sempre fez isso. Quando eu vi a porta se abrindo me deu um frio na barriga, um nervosismo. Quando ele saiu eu mal acreditei no quanto ele estava lindo, usava um smoking preto quase igual ao meu só que ele usava uma gravata cinza ao invés de mim que usava uma gravata borboleta vermelha, seus cabelos estavam penteados pra trás o deixando com um charme muito sensual e sua barba estava por fazer como eu sempre mandei ele deixar, ele sabe que eu amo barba, por isso ele passou a deixa-la.

-Como você consegue Diogo? – Disse o Rafael quando se aproximou de mim, ele me olhou de cima á baixo e depois encarou meus olhos com um sorrisinho.

-Consigo o que Rafael? – Disse eu o encarando.

-Ficar mais lindo a cada dia, você esta muito gostoso nesse smoking... Mal consigo acreditar que esse monumento é todo meu, eu sou casado com o cara mais quente que eu já vi! – Disse ele mordendo o lábio inferior, esse simples movimento e seu olhar me fez arrepiar sabe? Senti meu corpo tremer de tesão. Tive até que disfarçar meu pau duro. – E você sabe que eu amo esse perfume, seu cheirinho.

-Obrigado. Você também esta lindo! Muito lindo. – Disse eu dando um sorrisinho de canto de boca, ele cumprimentou o resto dos nossos amigos e nós entramos. Ele se sentou ao meu lado e a cerimônia ainda não tinha começado, um homem ficou encarando o Rafa na maior cara de pau, eu fiquei muito incomodado com aquilo, tive vontade de ir lá e quebrar a cara daquele folgado, esse gostoso é MEU MARIDO! E ninguém pode flertar com ele, só eu. Pra mostrar que ele é meu eu coloquei minha mão em sua coxa e apertei, ele estremeceu um pouco e me encarou com uma cara de safado que me deixou quente de tesão, com febre de excitação.

A noiva entrou e ela estava linda, muito linda. A cerimônia começou e nós assistíamos a tudo. Discretamente o Rafa arrastou sua mão pelo banco e a colocou sobre a minha, eu ia tirar, mas a sensação de sua mão sobre a minha é algo que eu não consigo explicar. Eu entrelacei meus dedos aos dele e ele apertou nossas palmas uma contra a outra.

A cerimônia terminou e nós fomos pro salão de festas, mas do nada a gravata do Rafa cai, quando eu fui pegar percebi que era uma gravata de nó pronto! Que coisa horrível, ele ainda não aprendeu a dar o nó na gravata! E pra piorar a situação o zíper da gravata havia quebrado.

Em cima da hora nosso amigo Fabio conseguiu em gravata pra ele, mas como era uma comum eu tive que ajuda-lo a colocar. Fomos pra um quartinho onde a noiva troca de vestido, nós entramos e ele ficou de frente pra mim, eu envolvi a gola da camisa com a gravata e comecei a dar o nó, quando eu levantei meu olhar, percebi que seus olhos encaravam os meus.

-Que clichê né? Você dando um nó na minha gravata... Parece uma cena de seriado americano sobre família perfeita!

-Pois é. – Disse eu voltando meus olhos pra gravata, eu estava quase colado com o corpo no dele, seu cheiro estava me deixando completamente louco, ele sabe que eu amo esse perfume que ele usa.

-Seria ainda mais clichê se eu te desse um beijo quando você levantasse o rosto, só pra completar a cena! – Disse ele com tom de riso.

-Todo mundo gosta de um bom e velho clichê. Você não? – Disse eu terminando de dar o nó na gravata dele e levantando meu rosto. Segurei em seu queixo e dei um selinho em seus lábios, que saudade que eu senti do sabor da sua boca, da maciez e do calor dos seus lábios, do seu beijo, eu sou apaixonado pelo beijo dele. Eu coloquei minhas mãos em sua cintura e trouxe seu corpo contra o meu, ele colocou a mão em minha nuca e pressionava meus lábios contra o seus, eu envolvi meus dedos em seu cabelo e o prendi em minhas mãos, eu chupava e mordia seus lábios deliciosos, passei de leve minha língua pelos seus lábios, sentia a sua língua brincar a minha e logo estávamos explorando a boca e a língua um do outro com a nossa própria, ele mordeu meus lábios e fomos terminando o beijo com selinhos leves. Eu encarei seus olhos e ficamos assim por alguns segundos, não era preciso dizer nada. Sabíamos que tudo estava resolvido entre nós dois, nós nos comunicamos pelo olhar, ele sabia que eu NUNCA deixaria de ama-lo, naquele momento nossos corações estavam batendo juntos, eu dei mais um selinho nele e sorri.

-Me desculpa se eu fui um idiota contigo, eu tenho que confiar no meu marido! Eu te amo amor, desculpa se às vezes eu ajo tão imaturo! – Disse ele passando as costas das mãos em meu rosto.

-Tudo bem, o importante é que nós sempre conseguimos nos acertar no final, sempre resolvemos nossos problemas juntos e voltamos um pro outro, afinal tudo isso que eu sou hoje, eu devo ao meu garoto! Te amo meu idiota, não importa quantas brigas a gente tenha, quantas vezes eu saia de casa, quantas lagrimas nós derramaremos! Sempre vamos recomeçar. Sempre vamos colocar nosso amor em primeiro lugar e voltar pros braços um do outro, pros braços do meu amor! – Disse eu dando um selinho nele. - Mas precisamos comemorar isso não acha? – Disse eu indo até a porta e a abrindo.

-Aonde você vai?

-Espera aqui! – Disse eu indo até a mesa, todo mundo estava tão distraído vendo a dança dos noivos que nem perceberam eu pegar uma garrafa de champagne fechada da mesa. Voltei bem sorrateiro pro quartinho de troca de roupa, tranquei a porta por dentro e mostrei pra ele a garrafa.

-Hmm... Então foi isso o que meu “leke sapeca” quis dizer com “comemorar” não é? – Disse ele vindo até mim e me beijando, eu sai dos braços dele e estourei a champagne.

Tomamos direto da garrafa mesmo, nos beijamos e foi uma delicia sentir o gosto de champagne dos lábios dele. Ficamos bebendo e dançando, a musica da festa conseguia chegar até nós, estávamos bêbados de amor, ele dançava, ria e bebia, Nos beijávamos e nos esfregávamos um no outro, em um piscar de olhos já estávamos vestidos só com nossas calças, havíamos tirado nossos smokin.

-Surfboard... Surfboard ♪ ♫ - Cantava eu bebendo um gole de champagne. Eu o joguei no sofá e comecei a fazer um striptease pro meu homem. Fiquei só de cueca e comecei a dançar pra ele, da forma mais sexy que eu já fiz na minha vida, nem na boate eu dancei tão sexy assim. Acho que dançando pra ele eu me sinto mais livre, mais sexy, mais desejado, então eu dou um verdadeiro show! Faço meu verdadeiro numero.

Eu comecei a dançar no ritmo da musica, os olhos dele chegavam a brilhar.

Eu dançava, descia subia me esfregava na perna nele, rebolava no colo dele, fazia tudo isso olhando pra ele e com um sorriso safado no rosto, ele parecia um garoto que tinha ganhado o que queria de Natal.

Eu continuei dando meu showzinho, ele apenas observava tudo sem nem piscar kk’s, eu amo isso, satisfazer meu homem.

-Venha sentar no colo do papai... – Eu sentei e ele tirou minha cueca com todo o cuidado, me deitou naquele pequeno e apertado sofá e me beijou, meu pescoço, meu peito, deu uma chupada em cada mamilo, beijou minha barriga, lambeu minha virilha, mordeu a parte interna das minhas, ele deu um beijinho na cabeça do meu pau que latejava, deu uma mordidinha no meio dele, lambeu toda a extensão da base até a cabeça fazendo meu pau quase explodir e sem me avisar colocou tudo na boca, senti seu nariz tocar minha virilha, eu não aguentei e dei um grito, mordi meus lábios pra não gemer alto, ele me olhou com meu pau na boca e deu um sorrisinho safado, eu senti seus dedos massageando meu botãozinho, ele recolheu um pouco da baba que saia do meu pau com o dedo, passou no meu buraquinho e ficou massageando, era uma delicia sentir seus lábios no meu pau e seu dedo me tocando, eu estava quase gozando.

-Rafa, eu vou gozar! – Disse eu mordendo meus lábios, mas ele não parou, muito pelo contrario, ele aumentou a velocidade dos seus lábios em mim me fazendo despejar meu gozo em sua boquinha linda, ele continuou me chupando até deixar meu pau limpo.

Ele me pegou pela cintura e me colocou de quatro no sofá e deu uma mordida no meu ombro, beijou minha orelha, meu pescoço, minhas costas, eu pude sentir seu pau cutucando de leve meu buraquinho, dei uma reboladinha, acho que ele viu isso como um sinal pra me penetrar, ele meteu tudo de uma vez, eu deu um gemido alto que foi abafado por um beijo, ele começou com movimentos lentos e ritmados, ele puxou meu rosto pra trás e ficava me encarando enquanto me penetrava bem de leve, apertava minha bunda. Ele beijou meus lábios com tanto desejo, com tanta fome, quase como se quisesse mostrar pra mim a sede que ele sentia dos meus lábios, eu estava explodindo em sensações, seu corpo sobre o meu, seus lábios nos meus e seu pau me penetrando, agora com mais força, o barulho dos nossos corpos se chocando era abafado pela musica da festa, mas mesmo assim era bem audível pra nós.

-Vem no cavalinho vem! – Disse ele me virando, me penetrou de frente pra ele, eu enlacei minhas pernas em sua cintura, ele me segurou pela bunda e me pegou no colo, eu envolvi meus braços em seu pescoço, nossos corpos suados se envolvendo e se tocando, apenas suor entre nós, nossos lábios buscando um ao outro e minhas unhas cravadas em suas carnes. Ele metia com força, com raiva, seu pau já entrava facilmente em mim, eu gemia em seu ouvido e mordia sua orelha.

Ele me levou de volta pro sofá e me deitou nele com todo o cuidado, colocou minhas pernas em seus ombros e voltou a me penetrar de frango assado, eu gemia e mordia meus lábios vendo seu corpo delicioso todo suado na minha frente, seus músculos tensos, seu rosto demonstrando todo o prazer que sentíamos, sua boca entre aberta em um gemido baixo, eu o puxei pra cima de mi, colei nossos peitos e tasquei um beijo delicioso nele. Eu desci minhas mãos pelas suas costas e cravei minhas unhas na sua bundinha durinha, ele sorriu quando eu fiz isso e mordeu meus lábios. Estávamos literalmente embriagados de amor.

-Eu quero fazer isso olhando pra você! – Disse ele com o rosto colado ao meu, metendo forte e gemendo. Seu suor pingava sobre mim, seus olhos grudados aos meus, seus braços me envolvendo, ele beijou meu pescoço e o deixou marcado com suas mordidas e chupões, eu apenas gemia e sentia sua barba roçando no meu pescoço me causando arrepios, entrelacei meus dedos em seu cabelo e pressionei seus lábios contra o meu pescoço.

Ele me pegou pela cintura e inverteu a posição, agora ele que estava sentado no sofá e eu cavalgando em seu pau, apoiei minhas mãos em seu peitoral e comecei uma cavalgada alucinante. Eu puxei seu cabelo o fazendo inclinar a cabeça pra trás, deixando seu pescoçinho exposto, eu o mordi e lambi, deixei meu gostoso todo arrepiado enquanto cavalgava nele, eu rebolava em seu pau e o sentia latejar dentro de mim.

Nós sabíamos que já estávamos prontos pro “Gran finale”, ele segurou em minha cintura e aumentou a velocidade, com a mão livre ele começou uma punheta deliciosa pra mim, seus sua boca em meu mamilo, ele o mordia de leve e dava leve chupadas me fazendo arrepiar por inteiro, eram tantos estímulos, tantas sensações que eu não consegui em segurar, senti meu corpo todo estremecer, um arrepio forte passou pelo meu corpo e eu gritei, foi um dos orgasmos mais intensos e deliciosos que já tive, eu senti meu corpo inteiro ficar mole e eu caí sobre o Rafa que também estava gozando dentro de mim, ele urrava com o rosto afundado em meu pescoço e seu pau enterrado dentro de mim, ele me segurava forte pela cintura e seu pau pulsava dentro de mim liberando os últimos jatos de porra grossa. Nós dois estávamos cansados, suados e ofegantes, nossos corações estavam acelerados e eu nossas pernas mal conseguiam sustentar nossos corpos.

Ele passou o dedo na cabeça do pau recolhendo o resto de gozo que tinha, levou a boca e chupou o dedo, depois me puxou e me tascou um beijo delicioso, calmo, suave e bem apaixonado. Pude sentir meu gosto. Eu chupava seus lábios, sua língua e sentia o gosto de champagne e esperma em sua boca, queria que aquele beijo durasse pra sempre.

-Senti sua falta... – Disse ele sorrindo e olhando no fundo dos meus olhos.

-Eu também senti a sua, muito! - Disse eu beijando seu pescoço, nós dois cheirávamos, a sexo, suor, perfume e champagne.

Não tinha condição de nós ficarmos na festa, por isso colocamos nossos smokings de qualquer jeito mesmo e saímos de mansinho do quartinho, ainda restavam poucas pessoas na festa, ficamos espiando pela fresta da porta, esperando as pessoas saírem de perto da saída do salão, quando o caminho ficou livre e não tinha ninguém á vista nós fomos sorrateiramente até a porta de saída.

-Conseguimos, ar fresco! Eu estou morto de cansaço! – Disse eu assim que chegamos do lado de fora.

-Vamos embora meu gatinho, vamos pra NOSSA casa. – Disse ele, nós fomos pro ponto de ônibus, pegamos um taxi e fomos pra casa, eu nem me lembro da viagem direito, lembro-me de ver a paisagem passando com a cabeça apoiada no ombro do Rafa e tentando me manter acordado, lembro-me de nós dois sentados dentro do elevador, estávamos tão cansados que nem conseguíamos nos manter de pé.

Assim que chegamos ao nosso andar nós levantamos, ele me ajudou a levantar e me levou pra dentro de casa, abriu a porta e eu entrei, por incrível que pareça o apartamento estava limpinho e em ordem, meu amor manteve nossa casa arrumada mesmo eu não estando lá. Mas eu estava tão cansado que nem prestei atenção nisso direito, nós tiramos nossos smokings na sala mesmo e fomos pro banheiro, tomamos um banho juntos, ele esfregava minhas costas e eu ensaboei seu corpo inteiro, nos enxaguamos abraçados embaixo da água, nos secamos e colocamos cuecas limpinhas, fomos pro quarto.

Jogamos-nos na cama e nos entrelaçamos embaixo do edredom, ele me envolveu em seus braços e eu deitei minha cabeça em seu peito, sentindo seu cheiro, a maciez da sua pele em contato com a minha, seus lábios beijando minha testa, peguei no sono assim e dormi como um bebê, na minha cama, com o meu amor, com seu corpo colado ao meu.

-Boa noite meu gatinho... – Disse ele com aquele jeito de menino que eu amo.

-Boa noite amor. – Disse eu sentindo o sono chegar.

Eu sei que vamos ter muitas lutas pela frente, mas se estivermos juntos nada vai conseguir nos enfraquecer, ele é o único que eu amo, o único que eu preciso e o único homem na minha mente, Quando eu fecho meus olhos eu tenho o vislumbre de nós dois fazendo amor, quando o nosso mundo esta desmoronando eu quero que ele me puxe pra perto e faça amor comigo. Depois de tantas idas e vindas colocamos nosso amor em primeiro lugar e isso faz a vida ser maravilhosa! Pode não ser perfeito, mas amor é assim, nunca é perfeito, mas vale a pena. E eu amo esse garoto, muito!

.

.

.

Meus amores, esse é o ultimo capitulo da série! Eu estou com aquela sensação de dever cumprido, com a sensação de que consegui dar o meu melhor, trazer felicidade a alguém e isso faz com que eu sinta que mudei o mundo de alguma mínima forma, me faz sentir que consegui trazer um sentimento melhor pra alguém. Eu não sei se vou voltar com um novo conto, mas vou continuar acompanhando os contos aqui da casa, por isso eu quero agradecer a todos esses maravilhosos anos que vocês estiveram aqui comigo, comentando meu conto e me fazendo a pessoa mais feliz do mundo com seus comentários tão fofos. Obrigado por todo o amor, por todo o apoio, por toda a lealdade ao meu conto, cada um de vocês esta no meu coração e me dão inspiração pra continuar a escrever. Quando eu caio, vocês me levantam! Que merda, acho que eu vou chorar kk’s. Vocês são incríveis e eu sou o garoto mais sortudo por ter leitores tão leais e amáveis, espero que tenham gostado desse capitulo, beijos meus amores.

Obrigado.

Deixe sua nota, um comentário e muito obrigado por ter lido o meu conto! XOXO ♥


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Trick_Patrick a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/01/2017 15:12:23
Série maravilhosa. Já tem outra a espera. Viciei.
27/05/2016 00:37:55
Muito muito muito bom
16/10/2015 22:29:47
Amoo Os Seus contos, porém tem smp as mesmas frases algumas cenas parecidas as unicas coisas que diferencia é os nomes e algumas situações e sem tirar que eu sempre vejo alguns trechos de musicas da bey como se fosse dialogos cenas de alguns filmes dela tbm kkkkk eu seii pk eu sou SUUUPERFÃ dela 😍😍❤❤ hehe e pelo visto vc tbm né... Parabens pelos contos são maravilhosos só tenta melhorar nisso, amei Diogo e o Rafa e tds os personagens beijoos
12/03/2015 23:30:06
nussa tô satisfeito com esse conto. Me emocionei, ri, chorei... Nao nos abandone Patrick. Vc é um grande autor.
04/02/2015 18:35:19
sabe em todos os seus contos eu percebi umas coisa, o ciumes sao sempre alto, tem sempre as mesmas frases romanticas, sempre as mesmas frases de fidelidade, personagens obcecados pelo namorado do outro, brigas que levam a um distanciamento, tudo por pouca coisa, quase sempre apenas um beijo roubado, e mais algumas coisas, isso mostra uma pequena falta de criatividade, desculpa mas sou sincero, seus contos podiam serem totalmente perfeitos, se voce nao usa-se muito, as coisas que voce usou nos outros contos. adorei o davi, os dois rsss, e o rafa. adorei os irmaos do davi, e o pai do davi tbm rsss. o conto é bom! minha é nota é 10.
13/01/2015 00:59:06
Ta bom meu lindo. Trabalhe bastante para sustentar nossa família 😂. Beijos ❤️
12/01/2015 08:06:42
Eu sei Vi(c)tor... 😞 Eu vou começar a trabalhar e não teria tempo pra escrever, e como eu nao quero deixar vcs na mão eu optei por excluirbo conto, mas prometo q quando tiver tempo eu volto com um novo conto... Beijos Amor! 😘
12/01/2015 07:49:54
Meu amor a nova série saiu do ar :(
16/12/2014 16:07:30
amei vc li td ..... te amoooo
05/12/2014 00:12:49
Oi...vc já ouviu falar do Nyah fanfiction eu site de escritores principiantes lá tem de tudo, eu creio que vc ia gostar v pode postar seus contos pra um público maior bjooo vc está de parabéns amei esse conto e lindo demais💋
02/12/2014 23:50:06
Para tudo! Quando eu te acho você quer ir embora? Como assim?! Você é um ótimo escritor, nem sei como dei mole e não te descobri antes. Esse conto foi maravilhoso do começo ao fim e assim que puder lerei os outros. Parabéns e não nos deixe, por favor.
30/11/2014 23:18:37
Meu DIVOOOO eu te passei um e-mail qe e perdi a senha rs esse eu entro direto espero ver uns seu lá em esse é o certo Ta bjs meu Amor♥♡♥♡
29/11/2014 16:18:56
Aí meu amor sério qe e o último???? Não vai não minhas vindas ao site e por causa de tu cara tu e o melhor então eu sei qe vc vai volta pra mim com uma história perfeita e nossa qe final em chorei rios, saber qe eu era apaixonada pela família do dos dois ne ainda qro um Davi pra mim kkk e meu amor caso vc não volte mas sei qe tu vai volta te desejo tudo de melhor pois tu merece te desejo tudo e nada tudo qe te faça feliz e nada qe te faça sofre bjs meu DIVOOOO Ps: meu e-mail: Nair qro perde o contato com vc aprendi a gosta e te admira mto bjs amor da Minh vida♥♥♥♥
29/11/2014 12:48:25
Não gostei disso, devia ter mais ! Você não pode sair não, se não eu fico triste. Volta vai não vai não, se você sair uma parte do meu coração vai com você e só volta quando você voltar. Seus contos me enchem de alegria. Meus parabens você conseguiu me emocionar em todos os contos que você ja fez. Não ouse sair em kkk. Escreva sobre sua vida kk. Se algum dia tiver o prazer de te conhecer será maravilhoso. Não suma se não vou até você seu putinho lindo kkkk. Vai mas volta kk. Se você tiver insta manda ele vai por favo kk. Se decidir parar tudo bem sério, te desejo tudo o mais de maravilhoso nesse mundo, porque você merece seu leke sapeca kkk
28/11/2014 20:43:15
perfeito, te acompanho desde o começo, mas nunca comentei por favor volte logo. Não aguento esperar mais.
28/11/2014 18:36:03
Que lindo o amor!Amei cada cap.Vai ter segunda temporada como amor bandido teve né ?Que também amei.......
28/11/2014 15:25:44
PERFECT! ! AMEI NAO PRECISO DIZER MAIS NADA. Abraço
28/11/2014 13:15:53
Lindo, não acredito que acabou mas foi um ótimo conto, parabéns por seu trabalho. Espero que volte com outro conto
28/11/2014 12:44:46
Amei o final lindo, mas não nos abandone. :) S2 [=
28/11/2014 11:14:42
Sensacional!

Online porn video at mobile phone


aregasando.abuceta.dagemeasamiga tô aqui sentado comendo aquela saidinha que o baile não chegou amigacontos o negão bem dotado de todas as pragas da minha sogracontos virgem amassosxvideos rebolando de fente atem gozar gostosonovinha dançando só de calcinha e de óculos e botãozinho vermelhosignifica sonhar que estou de sutiã e tanguinha dentro de casa e depois me sinto vergonhagaymulhes sexo com cavalocontos porno scat lesbicoxvideo Britney escanxada gostosaX.videos.com novinha apertada não aguentou o peu do novinhoxvideos.com negro caralhudo boto na posição na buceta ela gritou .conto erotico novinha caseiro negrocontos eróticos de padastro abusivoconto erotico guto e elainenegão barbarizou a novinha de bruçosconto gay ele se revoltou e tomou todasminha filha sentou no meu colo de minisaia conto eroticoesperou seu marido ir trabalhar e deu po ceu cunhado xnxxporno pai e filhinha no maio saroavisinha gostosa de fildentalxvideos meninas prencado mostrando a calcinhacoroa ao sentir o caralho na cona esporrasse todaMeu marido virou a minha putinhacontos erotico coroa comeu ru e minha mulhervideo porno de morena com blusa laranhadaxx vedeos enpregada dando pro prataoxvideos.com normalista mulatadoce nanda parte IV contos eroticoschupando a b***** dela e ela chupando meu pau até nós gozarmos juntossexo.mulher tranzando com o cara da pizza.braseiroMulheres engatada e gosando com cachorros engatados nelas e um cassete enorme pulSando dentro da bucetinha ? mudar música de funk tem um filme pudim empinadocasa dos contos eroticos gays de incesto e dominação sado- pai machão dominador e filho menino passivinhoquero ver um pauzao numa buceta e o negao batendo com uma pinhola p dar o cu gostosocontos cuckqueaneu quero ver as feirense mais peladas dando e gemendo e gritando gostosocontos eroticos.fui tomar banho com meu ermaozinho e nao rezisti ao ver seu tiquinho duvideos heroticos com as creetes mais tessuda do brasilcontos eiroticos leilapornesperei ela se distrair e empurrei no cu dela xnxxporno babentaesposa fudida por sobrinhos e sogros contos eróticosconto dei para meu filhoxvideos.com normalista mulataporno vedio chupando buceta forçado padrasto sexo forçado direto safado estupro gozando gostosoxvideos encavalando na morena de quatro dando o cuzinhosexo anal magrinha moises pornodoidoporno incesto filha perguntapai o que e sexo e ele mostracontos eiroticos leilapornvovo mais de oitenta anos brasileiras cagando i peidandocontos eiroticos leilaporncontos de esposa puta chupando varias rola na frente d cornocontos de sexo depilando a sograxvideos levei pro matadouromenina olha pau groso sexo xviddeoconto erotico huntergirls71xxxvideos novinha culpado ate goza na bocapicudod/contos205XVDEOmulek cacetudo me estuprou contosúltimos contos eróticos gayxvides filio fio mamaepeladacontos eroticos me fodram sem o meu namorado perceberconto erotico mulher vira escrava sexial por chantagemnao aguentei meu filho virou meu amante primeiro contofoto da movinha mostrando a bucetinha vircenxvideos primo cheira po mas prima e nao resisticonto erotico viado novinho vira escravo do coroa dominadorBaixa vidio porno das mulheres da vagina apetadinhaamon xvídioxpornonegaotransa de Roberto gabirobaContos eroticos gay que deu a primira vez e gritou de dorcasadoscontos-escrava dos/marginaisúltimos contos eróticos gayxvedeo caseiro enpegada gostosaestupro esposa contos eroticosdepiladora brasileira nao aguentou ver a pica durapono cario,caconto eroticoMeus amigos me foderam bebada contospornodoidoesposavadiasex incesto cumendo a priminha piquena e magrinha linda comendo o cu piquena3negao rasgando 18 aninho por tras porno doidowww.casadoscontoseroticos/tema/por que eu te amo amarreixvideo cm.coroas gostosa traindo o naridoeu sou uma mulher casada meu cunhado roubou minha calcinha pa bater puhetaquero ver dois pauzudos de 90cm pegando uma casada e fazendo ela gritar e gemersex araminhafelipe e guilherme - amor em londres 4contos eroticos comendo a sobrinhamundo p********* e grosso comendo o c* de uma besta bem devagarzinho peidando e gemendovideos caseiros de estrupos de vuneravrlvovó e netinha chegando junto com pirocudo mamando dando o cuzinhocontos eróticos, fatos veridicos com bem dotadoPau duro na faculdade contoscontos lactofilia com fotos ou videoabusada cruelmente por um negro roludo porno