Meu genro, meu pecado - Parte 9

Um conto erótico de Marta Ribeiro
Categoria: Heterossexual
Data: 07/05/2012 20:45:28
Nota 9.56

Prosseguindo com a minha série de relatos, sinto que preciso avançar um pouco na narrativa dos fatos. Acho que estou sendo prolixa e demasiadamente apegada a eventos antigos que acabam por ser repetitivos, já que retratam sempre o mesmo evento, em contextos diferentes: Eu e meu genro transando.

Por outro lado, não posso negar que há um desejo singular em contar tudo o que passamos, seja pela penitencia, seja pela vontade propriamente dita de compartilhar isso tudo.

Tenho percebido alguns comentários de pessoas que pedem para que eu mantenha contato através de Facebook, MSN, etc. Infelizmente, não posso fazê-lo. Como já disse em outras ocasiões, sou uma mãe de família, hoje uma avó. Tenho compromissos, sobretudo familiares.

Até hoje, e já se passaram cerca de 5 anos do início do meu envolvimento com o meu genro, fui mulher de apenas duas pessoas. Não tenho vontade de trair meu marido com ninguém e minha libido não é alimentada facilmente.

Vou avançar para idos de 2009, quando já havia colocado a prótese de silicone. Meus seios estavam lindos. Ficaram mais durinhos e empinados e, evidentemente, mais rechonchudos. O trabalho do cirurgião foi espetacular. Tanto André como o meu marido Paulo aprovaram e curtiram os novos seios turbinados.

Passei a fazer exercícios em casa e me cuidar mais. Não vou exagerar. Estava com 52 anos. Não era criança ou adolescente. Não virei uma mulher fruta. Fiquei, é verdade, uma coroa mais conservada.

O aumento dos seios e a malhação deram ainda mais gás na relação com o meu genro, se é que era possível.

Numa noite, decidimos fazer um fondue. Nós quatro. Usava um vestido verde, bem soltinho. Dada a minha idade e a presença de meu filho e marido, era uma roupa adequada e comportada.

Eu estava preparando tudo na cozinha e André chegou perguntando se queria ajuda. Ele se aproximou por trás e me abraçou, empurrando seu corpo contra o meu.

-André, que isso. Eles estão na sala.

Sua cabeça colou no meu pescoço, entre o ombro e o rosto e suas mãos entraram pelas alças do vestido, alcançando meus seios. Ele os apertou simultaneamente. Suas mãos firmes massageavam deliciosamente minhas aureolas e os novos e turbinados seios. Apertava a base e subia, passando o meu bico entre os seus dedos. Eu repetia, em vão:

-Ai, André...Não faz isso...Pode chegar alguém...

Escutamos passos e nos soltamos rapidamente. Meu coração pulsava forte. Era meu marido, perguntando:

-Então, esse fondue sai ou não, rapaz!

-É a Marta, que não quer deixar que eu faça as coisas! Ela que está demorando.

Pensei: Safado! Eu deveria ter dito: -Paulo, estamos demorando porque o seu genro estava apertando os seios da sua mulher. Brincadeira, lógico.

Ele voltou para sala e André se reaproximou de mim. Parecia ler a minha mente:

-Se ele soubesse porque estamos demorando.

Dessa vez, sua mão levantou o meu vestido, proporcionando a outra mão o acesso ao interior da minha calcinha. Ele tocou minha vagina e roubou um pouco da lubrificação que havia se formado.

-Sua safada...Já está molhada, né...Deixa eu te foder, deixa.

-André, vai pra sala agora! Chega!

Com ele na sala, rapidamente organizei tudo. Fomos jantar.

O vinho derrubou meu marido rapidamente, que foi deitar. Ele era bem fraco e eu sabia que teria uma noite de muito sono.

Minha filha disse que não aguentava mais e que também iria deitar. Chamou André, que disse:

-Júlia, vai dormir que eu ficarei para ajudar a limpar tudo, depois de terminar aqui.

Enquanto se beijavam, meus olhos fitavam o de André. Meu sexo começou a se lubrificar novamente.

Ela foi ao banheiro e trancou a porta. André, que se sentava à minha frente, esticou sua perna e a colocou entre as minhas pernas. Com o dedão do pé, afastou minha calcinha, roçando os dedos em minha vagina. Ficou friccionando até obter uma cara de satisfação minha.

Afastei seu pé e coloquei as duas mãos por dentro do vestido e retirei a calcinha, colocando-a em cima da mesa.

-Era isso que você queria tirar? Pega. É sua. Agora vem aqui e senta no meu lugar.

Levantamos juntos e ele parou na minha frente. Eu abaixei sua bermuda, liberando seu pênis ereto. Dei espaço e deixei ele sentar.

Ato contínuo, levantei o vestido e sentei em seu colo, encaixando seu pênis na minha vagina.

-Ai, André...Que gostoso...Minha bucetinha não via a hora, filho...

Virei o rosto para trás e nos atracamos em um delicioso beijo.

Suas mãos me apertavam a cintura e garantia um movimento para frente e para trás, proporcionando a entrada e saída de seu pênis do meu canal vaginal.

Me soltou e passou a se dedicar aos seios. Perdi um pouco a razão e segurei a barra do vestido e o levantei completamente, ficando nua, no colo do meu genro.

-Sua louca...Você está uma delícia, sabia? Você ficou ainda mais gostosa.

-Tira tudo, também, seu puto. Quero você pelado...Vai! Tira tudo, André.

-Até isso aqui? (Deu uma estocada violentíssima)

-AI! Calma...Isso, não...Isso vai ficar guardadinho aí dentro...Fica nu, fica, meu filho.

O meu jeito carinho de tratá-lo era suficiente para conseguir qualquer coisa. Ele retirou sua camisa e soltou a bermuda que ficava presa aos seus pés.

Estávamos completamente pelados na sala de casa. É bem verdade que não fazíamos barulho, exceto o som do pênis arrastando na minha vagina molhadíssima, que eventualmente fazia um “ploc”.

André não sabia se apertava meus seios, segurava minha cintura ou mesmo friccionava meu clitóris. De repente, sua respiração ficou mais ofegante:

-Rebola, Marta...Rebola

-Vai, André...Goza...Me beija, filho...

Virei meu rosto e voltamos a nos beijar. Ele apertou meus seios e nossos corpos suados se tornaram praticamente um só. Comecei a tremer e exatamente ao mesmo tempo que observava um suave, mas gostoso, orgasmo, senti o jato quente de seu esperam inundando minha vagina.

Continuamos o beijo e eu fui diminuindo a velocidade do rebolado, até paramos completamente os movimentos. Sem parar de abraça-lo, estiquei o braço até a mesa e peguei a calcinha. Levantei um pouquinho meu corpo e vesti a calcinha.

Ainda semi-nua, abaixei e fiquei de joelhos diante dele e coloquei minha boca em seu pênis, para que pudesse limpar tudo.Suguei um pouco de esperma residual e o beijei.

Ainda escutei: - Vai dormir assim, é?

-Não, né. Olha como estou suada! Vou apenas passar no quarto e dar um beijo de boa-noite no seu sogro...

Nos vestimos e ao sair da sala, escutei o destrancar da porta do banheiro.

-Mãe vocês já terminaram de lavar?

-Não filha, sabe que seu noivo sempre faz a maior sujeita. Vai dormir que você já está morrendo de sono.

É...Que sujeira que André fez...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
31/05/2012 19:24:39
Ola Marta, adoro seus contos leio todos e desejava que minha linda sogra fosse como vc com seu genro seu conto é meu sonho com minha sogra beijos em vc
08/05/2012 22:34:49
Oi Marta, Leio seus contos e fico bastante ecitado, pois me veko nos seus contos. Tenho 29 anos, sou casado e tenho uma sogra de 52 anos, muito gostosa e fogosa, porém falta-nos coragem para tomarmos uma iniciativa!Gostaria de pedir uma orientação a voce, para me ajudar a trepar com minha sogra!Eu uso esse msn sigiloso para me preservar - bater um papo contigo.Abraços e Parabéns!
08/05/2012 11:08:17
Parabens, http://drmenage.blogspot.com.br/
08/05/2012 08:14:36
Que delicia de conto... como queria uma sogra assim... bem safada...
07/05/2012 23:26:02
Nossa, que tesão! Dez! Fiquei o tempo todo de pau duro ao ler... você é ótima!Leia os meus também, lá tem meu MSN, me adiciona, vou adorar te conhecer...
07/05/2012 22:21:54
Adoro seus relatos, ja li todos e são super excitantes mas quando vc chama ele de "filho" eu perco um pouco do tesão.. Mesmo assim é ótimo.. nota 10

Listas em que este conto está presente

Sogra e Genro
Todos os contos de sogra e genro.

Online porn video at mobile phone


meu subrinho comeu a bunda da minha esposacontos eroticos coroas peidoreiras do iteriormulheres da bunda grande vestidinho curto calcinha enfiado no rabo da b***** cabeluda que fode com doismulher gorda e velha com as pregas do cu frouxa peidando porrapinto do mindigo regaso ninfeta ate elsManda se solta solta pum bolado na bunda dessa gostosanovinia gozandocontos eróticos comi o cu da minha irmã novinha brincando de pique escondetirei a virgindade do meu amigonovinho lizinho entra na rola grossa e cabeçuda quaze desmaiaXvideo comi minha visinha fis ela gosar so esfregana a cabeca da rola na sua buceta vou contar como foizd xvideo pau geande socando forte na coroa loira a forçacontos eroticos eu meu namorado e o cachorroesposa da cu sangra e estremece porno caseiroconto erotico mulher transa com cachorro por chantagemchupando buseta labefo pasda mso bocs cunhada centa na rola do cunhadoxvideo Luxúria travesti engatado com cachorroxxvideosMulheres tremendo ate cai gozandodois homens a baterem punheta fantaziando ate gozarpaniqueti lavando gosarda pirnicontos eroticos incedto padradto e intesdala vem ela corrigir o meu bilau pornotravesti com fiadinhominha prima deixou cheiro do cu mo meu pau contoscontos metendo com mulher da igreja casadaminha mãe irmã vovó conto eróticovídeo pornô mulher com a b***** o corpo cheio de quadradinho de homem g****** na sua portahumilhado rodrigo macho hetero contoconto sexo amante 23cmwww.xvideos.com/negao rasgando a esposa do fornonão tive culpa meu marido me deixou sozinha com o marceneiro e ele pegou o meu cuzinho contos exóticosfis vovo me arronbarcontos incestuosos papai. trepando com filha casada e genro olhandoxvidio de padrasto comendo. a imtiadaConto gay com coroacontos erotico dei o meu cu a forca pro pedreiro caralhudopai caindo na filha nova dorimindo de calcinhao dia em que tirei a virgindade de minha cunhadinhaMatheus-Contos Eroticos zdorovsreda.ruvídeo pornô ela com shortinho coladinho no corpo quentinhoirmãzinhas trazando com irmãoWww.contoeroticocrente.comcontos eróticos estava dormindo com meu marido e encerro minha buceta de porraXvideos... Fode fode fooddeee caralhoporno.milene ceribelefilha pede para o pai soca a pica uma cenora junto no cuindiazinha dormindo deixa ser penetradacontos eróticos gay brincar http://transei com mecanico gay contos eroticos gaydando uma fududinhaContos eroticos no sitio mas meu cunhado safadofeminizacao hormonios dedos no cu porra conto eroticoxvideos calibrosasQuero ler contos homem fudendo coroa de baby dollEle me fodeu gostosocontos crente casada quis experimentar no cu e se arrependeufilme velho cadeirante fica de pau duro quando nora da banho neleContos mendiga pornoVER MUHER QUE ADORA DAR O CU PARA TRABEDTI DOTADOhttp://comto erotico comendo cú menina crentea gostosa do rabao de shortinho enterrado deu mole pro novinho e ele nao perduolcontos eróticos de i****** avô e avó casal junto ensinando netinha f****contos eroticos fode Frouxoporno mae gotosa madura sedente de amor ai pirocaocontospono aprimiravez fotosubrinha chupando chupeteira do condominio contoscontos eiroticos leilapornestupro esposa contos eroticoscontos lactofiliamulher nåo rresiste encochada e fica louca de tesaohomem fudendendo a vizinha e de repente sua mulher chegarvidios de cachorro pauzudo emgatado nas novinhas ate o taloContos eróticos casada no acampadosxvideos de idosa ifiando o pinto na buceta da idosa butamenteconto gay contei pra ele que queria dar pra elepica no cu da sogra gostosa conto eroticovelho tarsdaonovinhas.abrir.buzentavídeo pornô eu estava dormindo a bunda e 20:13 me comeu na marravelha babenta no pau chupando videoprovoquei levei no cu contoshomens com rolas veiúdas transandosenti um bafo quente na buceta zoofiliaAparecendo os pemteiosbunda redonda da coroa crente contos eroticoscontos gay trombadinha casa dos contosjogador de basquete fode o gay safado na arquibancada negao xnxxsedusio empregadinha virgem ate fude lagrita puta selvageria braba xvideosConto erotico peituda amamentandocontos eroticos primeiri orgamos com meu irmaoneta safada faz boquete embaixo da mesa de jantar