Depilação entre amigas

Um conto erótico de Roberto Filo
Categoria: Grupal
Data: 04/07/2007 19:48:30
Nota -

Depilação entre amigas.

Segunda parte

Peço desculpas pela demora na conclusão da segunda parte de: depilação entre amigas. Tive de solucionar uns problemas e isto me deixou sem tempo.

Vamos ao que interessa:

Na primeira parte, parei no momento em que Olívia ia ao banheiro e Paulinha reclamava por eu ter tirado meu membro do anus da Olívia, e colocado em sua boca.

Chupei o mamilo dela que ainda estava em riste, bem durinho. Dei uma tapinha na perna dela e disse:

- Estou doido pra comer teu cuzinho, sonhei e me masturbei vários dias lembrando como é gostoso.

# Fala baixo! Ela não sabe de nada!

- Olha aqui. Só em pensar ele fica duro.

# Este caralho vive duro! Passei por cima dela rosando meu pau em seus peitos e fui ao banheiro. Olívia estava no chuveiro, entrei e abraceia por traz e comentei:

* Achei que tu estava te guardando pra gozar no cuzinho dela...

- Eu não queria gozar em ti, Estava te comendo, vendo-te chupá-la, cheguei a imaginar que teu cuzinho era o dela; e teu cuzinho estava tão quentinho que não agüentei.

* Adorei a gozada, nas minhas costas e minha bunda estava toda melada, quase não sai na água. Por que tu não gozou no meu cuzinho? Virou beijando meu rosto, procurei sua boca ela recusou virando o rosto.

- Meu pau escorregou e saiu do teu cuzinho, quando fui colocar novamente; não agüentei e acabei gozando na tua bundinha.

* pensei que tinha sido proposital. Até que gostei de teu leitinho quente na minha bundinha.

Rocei meu pau em cima da buceta dela por trás, comecei a bombear entre suas pernas, tentei introduzir, ela não deixou; segurou e guiou meu cassete até o cuzinho, pincelou nele antes de empurrar a bunda e meter até metade do falo, ficou punhetando o que estava de fora e disse:

* Meu cuzinho tu pode comer a vontade, mas a buceta, só na presença da mamãe.

E quem sabe depois a gente possa trepar a vontade... Enquanto isso, ou é meu cuzinho ou nada feito. Adoro teu cassete dentro dele. Tu não gostas de comer ele não?

Ela falava e não parava de punhetar meu cassete com sua mãozinha enquanto seu cuzinho engolia a outra parte.

- Gosto de meter no teu corpo todo, principalmente nele. Mas é que estou ficando tarado, doido pra experimentar tua bucetinha e ver se é como a da tua mãe. Quero ver se tu consegues premer meu cassete do jeito que tua mãe faz.

Ela inclinou seu corpo para frente, desligou o chuveiro, apoiou as mãos na parede e empurrou sua bunda, meteu o restante do cassete, começou a movimentar sua bunda para frente e para trás. Baixei um pouco meu corpo, apoiei as mãos na porta do Box atrás de mim, fiquei parado, apreciando aquela bunda subindo e descendo de encontro a meu caralho que entrava e saia me levando as nuvens; ela tirava até a cabecinha, pressionava com o anelzinho do cú e metia novamente até o tronco. Incrível como ela conseguia mexer somente com o quadril. Paulinha entrou no banheiro, sentou no vaso e assistiu por alguns minutos, acho que ela fez xixi; aproximou-se, abriu a porta do box, acocorou diante de nossos sexos, ficou olhando a introdução e tocando uma punhetinha nela mesma, retirou meu membro da buceta da Olívia, chupou meu pau e colocou novamente no cuzinho da Olívia, Acho que ela fez aquilo para mostrar que não tinha guardado ressentimentos; em seguida lamentou:

# Pensei que hoje fosse meu dia... Oliva parou de rebolar, afastou-se, deixando meu caralho que pingava de tanta excitação sai de seu cuzinho. E disse:

* Magão... Vamos logo comer o cuzinho dela. Desde a hora que ela chegou que não fala noutra coisa, e eu, quero te ver esfolando o cuzinho dela.

- Vamos. Vou arrobar e gozar dentro dele agora! E sorri piscando o olho para a Paulinha. Vou esfolar as pregas dele hoje!

Olívia baixou deu beijou de língua na Paulinha que ainda estava de cócoras. Foi demais para mim. Sempre imaginei ficar diante de duas mulheres e verem-nas se beijarem, se chuparem, transarem para que eu assista; Coloquei meu cassete entre a boca delas; elas o chupavam, uma dum lado, outra do outro; quando encontravam suas bocas, elas se beijavam e voltavam a chupar meu membro, Olívia também se acocorou e me punhetou (ela é canhota, é gostoso ser punhetado por uma canhota, e pela Olívia então...), e com a direita punhetou e penetrava a Paula, enquanto esta chupava a cabeça do meu membro. Em seguida falou:

* Tu me perguntou como eu conseguia colocar todo o membro dele na boca (Desejos contido A Guardiã)! Vou te ensinar. Não sabia ela, que: eu já havia metido tudo na garganta da Paulinha (Desejos contidos em: O defeito).

Ela pegou a Paula pelos cabelos, empurrava sua cabeça de encontro a meu membro, fez pressão por alguns segundo segurou e soltou; Paula soltou um monte de saliva melecando seus peitos; Olívia fez isto algumas vezes. Pedi para pararem se não gozaria de novo. Paula disse que podia gozar em sua garganta; falei que queria gozar no cú dela e não na garganta. Olívia deu uma sugada em meu membro (daquelas que só falta esvaziar nosso sacos), alisou meus bagos, tirou os dedos da buceta da Paulinha, fez-la chupá-los, chupou-os também, levantou-se puxando a Paulinha e comentou:

* Vamos que também estou doida pra ver o pau dele entrando no teu cú! Nunca nem em filmes. Quero ver ele te rasgar!

Olívia estava no Domínio, e parecia adorar ser dominadora. Eu adoro mulheres assim. Ela decidia o que e como íamos fazer, eu só me deleitava da situação. E paulinha como sempre: Angélica e submissa aos nossos desejos. Fomos eu e Olívia para cama, enquanto Paula se banhava. Eu estava mamando os peitos da Oliva quando a Paulinha chegou e falou:

# Égua, que gás... Tu não te farta não homem?

- Se eu me fartasse fácil, tu irias continuar com o cuzinho cheio de pregas. E sorri piscando novamente para ela. Abri os braços e ela se jogou em cima de mim, procurou minha boca e me deu um logo beijo, e pediu pra eu ir devagar; Olívia acariciava o corpo da Paulinha, descia da nuca até as cochas e voltava a subir, Paulinha deu uma sugada na minha língua e segurou por alguns segundo deixando-a: dormente e eu sem fôlego. Vez ou outra, minhas mãos se encontravam com as de Oliva no bumbum da Paulinha. Introduzi a cabeça do dedo médio nu cuzinho dela, ela gemeu e arrebitou a bundinha, Olívia aproximou-se para ver de perto a penetração, ela tirou meu dedo e acho que colocou o dela, pois a Paulinha gemeu do mesmo jeito. Coloquei meu pau entre as pernas dela transpassando-as até seu bumbum. Olívia passou a língua na cabeça e ficou atrás de Paula fazendo, não sei o que. Só sei que paulinha estava gostando. Ela levantou um pouco o bumbum e introduziu meu pênis naquela bucetinha melada e quentinha. Ela estava tão excitada que chegou a melar os cabelos de meu púbis. Senti a mão da Olívia, segurar o tronco do meu membro e em seguida tirar da buceta da Paulinha para uma chupeta, foi demais, queria poder ver meu pau sair da Paulinha e entrar na boca da Olívia. Falei isto pra elas. Então Olívia foi ao guarda roupas que ficava ao lado direito, quase por traz da cama; abriu a porta e perguntou:

* Assim está bom?

- Olhei e vi pelo espelho de mais ou menos um metro; a bunda da paulinha subindo e descendo com meu caralho atolado na buceta dela. Não tinha a visão total, mas dava pra ver boa parte, até que Olívia se meteu no meio tapando a visão. Pedi para mudarmos de posição e ver melhor, virei o corpo com a Paulinha em cima de min. Olívia acompanhou. E quando encontrei a posição, Olívia meteu a língua na bunda da Paulinha, mas não dava pra eu ver direito, só via a cara da Olívia atolado na bundinha da Paulinha, mas sabia que ela estava metendo o língua nu cú dela. Olívia tirou novamente para chupar meu pau, aproveitei e sai para vê-la chupar a Paula. Não me contive e fui ajudá-la. Ela se retirou par alguns instantes e quando dei por conta, a safada esta com a cara na minha bunda, procurou meu anus com a língua (Achei aquilo entranho, vindo da parte dela! Ela nunca tinha tentado isto antes). Mas estava gostoso e deixei-a, ela lambia e metia parte da língua em meu orifício, Levantou, encostou a pélvis em meu traseiro, passou a esfregar e copular como se estivesse introduzido seu grelo em mim ( seu grelo é grande, mas não tanto); baixou tentou meter o bico dos seios, voltou a lamber e introduzir a língua (esta parte era boa), até que tentou meter o dedo. Recuei de imediato. Ela sorriu e disse:

* Não gosta do terra?

- Não! A língua ainda vai, mas outra coisa... Não!

* quer dizer que só é bom no dos outros. É? E deu outro sorriso safado.

Paula perguntou o que foi, respondi que nada. Subi em cima de seu corpo, pincelei seu cuzinho e Olívia pediu para trocar de posição, pois daquela forma não ia ver direito. Ela mesma propôs que eu deitasse e Paulinha viesse por cima de costas para mim. Paulinha ficou em pé, me deixando entre suas pernas e véi arriando seu corpinho, enquanto Olívia por trás dela, segurava meu pau para cima esperando a Paulinha descer até encostar seu cuzinho na cabeça de meu pau. Olívia olhou para mim, sorriu puxou meu cassete e deu uma mamada enquanto paulinha sentava em meus testículos sem encontrar meu cassete. Paula olhou para trás, viu Olívia chupando meu cassete e pediu:

# Mete logo.

Olívia posicionou novamente meu cassete no orifício dela e disse mais ou menos assim:

* Pronto, ele ta lubrificado. Vem descendo devagarzinho, assim. Faz mais uma forcinha, abre mais as pernas, isso. Assim... Está entrando, olha magão, ta entrando a cabeça do teu pau.

Nem precisava ela mandar, nunca deixei de ver uma penetração anal, a não ser aquela em que é impossível se ver. Como a de quatro. Olívia passou seu corpo por cima do meu me tirando toda a visão, apoiou o cotovelo na cama olhou para mim e continuo a narrar:

* O cú dela ta se abrindo. Parece que ta se rasgando, deve ta doendo. Ta Paulinha?

# Taaaa ardennndo um pouco...

* Vou te ajudar. (Não sei como ela a estava ajudando), Vem, desce mais um pouco já passou a cabeça, arria mais. Isso! Assiiiim. Ta quase a metade.

A penetração foi tão lenta, que senti cada milímetro da penetração, sabia exatamente o que já tinha penetrado naquele cuzinho, Paulinha começou a subir e descer lentamente, depois foi aumentando o rítimo, Olívia não perdia nada, não saia da frente para que eu assistisse; Mas eu imaginava como estaria o cuzinho da paulinha, queria ver a cara da puta da Oliva se satisfazendo em ver uma penetração anal tão de perto. Era a realização de uma das suas fantasias. Paulinha continuava subindo e descendo, estava preste a gozar, ela gemia baixinho, rebolava de um lado para o outro, subia e descia e não parava de gemer. Gemia; mas não gritava como a Olívia. Paula era diferente, gostava de curtir gozando baixinho, eu gosto mais de uma como Olívia, despudorada, que grite que fale palavrões. Que fôda como uma puta. Já a Paulinha, parecia uma donzela. Oliva deu uma tapa na bunda dá Paula que estalou alto. Paula gritou. Olívia deu outra e mandou meter o resto do cassete que ainda estava de fora. Paula tentou, mas, acho que pela posição das pernas, não conseguia meter até o troco como da primeira vez que enrrabei ela tirando sua virgindade. Oliva deu mais umas duas tapas forte o suficiente pra Zunir em meus ouvidos; Paula gritou novamente e acelerou a penetração, mas não metia todo o cassete. Eu Imaginava como estaria a bundinha branquinha dela. Acho que toda avermelhada, queria ver como estava, mas o corpo da Olívia não deixava. Olívia deu mais um tapa e reclamou:

* Deixa de frescuras sua Puta. Acho que tu não mete mais para ver se eu te espanco mais. Não é sua cadela? E levantou-se me deixando ver a bunda toda marcada pelas mãos de Olívia, deduzi que deveria ter doido e estar ardendo. Olívia ficou de pé e pelos ombros de Paula focou o corpo dela para baixo até entrar o resto de meu membro no cú dela. Paula arriou seu corpo para traz apoiando-se com seus braços no meu e na cama, conseguindo introduzir o que restava. Desta vez, senti novamente meu membro ultrapassar seu útero como da primeira vez. Seu útero parece ser baixo, pois ela não agüenta meu membro (18,5 x 5,5) em sua chaninha, mas nu cú ela entra tudo. Olívia agora estava do lado esquerdo da Paulinha, ela meteu a mão na sua buceta e beijou a Paula por um longo tempo, senti os dedos da Olívia acariciando e roçando meu membro por dentro da buceta da Paulinha; as duas esfregando as bocas uma na outra até que Olívia ficou em pé diante da paulinha, veio descendo com as pernas e buceta aberta para ser chupada pela Paulinha que abocanhou o grelo sem cerimônias. (amigos a visão foi divina: aquelas par de cochas grossas, descendo com a buceta depilada, melada, sendo arreganhada pelas mãos de sua dona, uma barriguinha fofinha, um belo par de seios com mamilos marrons e pontudos, durinhos pela excitação; seguido do rosto de uma deusa com cabelos pretos brilhosos, sedosos e escovados caindo sobre parte dos peitos; Aquilo foi maguinanimo). Meu pau pulsou mais forte no cuzinho da paulinha que, chupou a buceta da Olívia, que, esfregou por toda a cara da Paulinha. Desejei dar uma chupada, mas a posição não permitia. Olívia pegou o consolo (24 X 8) em cima da cama ( veja a primeira parte) levou-o a boca da Paulinha, chupou junto com ela, lubrificou-o e com dificuldades, meteu em sua própria buceta. A égua arreganhava a pernas, metia, me olhava e virava-se para eu ver o consolo entrando na buceta, ela retirou e deu a Paulinha que chupou com gosto o consolo que acabara de sair da xana da Olívia; a puta meteu novamente na buceta virou-se para mim, arreganhou as pernas, meteu mais da metade, jogou os cabelos para trás, me encarou e ficou socando aquele monstro na buceta, tentei alcançá-la, mas o peso do corpo da paulinha não me dava mobilidade, a égua retirou o membro meteu três dedos, tentou colocar o membro em minha boca, recusei; ela levou para paulinha que se deliciou novamente engolindo boa parte do cassete de silicone. Enquanto Paulinha chupava o consolo, a Puta da Olívia me trouxe seus dedos que chupei e acabei por gozar (caladinho) no cuzinho da Paulinha, esta notou que eu estava gozando, aumentou o rítimo de seus rebolados e gemidos, (agora ela gritava, ela estava gozando sem pudores). Olívia notou passou para frente deitou-se entre nossas pernas encostando seus peitos em minha pernas ( que macio), e ordenou a Paula:

* Não goza agora não! Sua puta. Ainda não ta na hora. E esfregando o consolo na buceta da Paula, tentou meter. O consolo escorregou quase acertando em cheio meus testículos, ainda bem que eu já tinha gozado se não... Mais a sacanagem estava tão boa e aquele cuzinho tão gostoso que nada falei e continuei dentro do cuzinho. Olívia meteu parte do membro na buceta da Paula, que não agüentou e começou gritar e gozar levando Olívia aos gritos e ao gozo; as duas urravam e gritavam como duas éguas no pasto, sendo montadas por seus cavalos. Paulinha desfaleceu, arriando o corpo, e ficando com a cabeça a meu lado que aproveitei para beijar sua boca enquanto ela ainda arfava, os músculos de seu corpo espamavam com a intensidade do gozo dela, que continuou com meu membro dentro de si, estava gostando (e eu também), pois já havia gozado e não tinha feito menção de tirá-lo de dentro de si.

Olívia subiu me beijou na face, beijou a Paulinha; Eu vi a língua das duas se enrolando, os lábios sendo chupados, uma pela outra, meu pau voltou a pulsar no cuzinho da paulinha; Olívia pegou a mão da Paula e pediu para ser masturbada ao mesmo tempo em que levava a sua mão a buceta da Paula, meu pau voltou a pulsar dentro do cú da paulinha, eu estava tão excitado vendo as duas transarem, se masturbarem, e se beijarem com se eu não estivesse ali; fiquei excitadíssimo. Eu ouvia o barulho aquoso da língua e dos lábios delas como se fossem nos meus. Era tudo que eu queria ver as duas se foderem bem perto para eu ver; chamei:

- Olíiiivia!

* Oi.

- Vou gozar novamente no cú da Tua gatinha.

* E tu já tinha gozado?

- Jaaaaá.

Ela falava e voltava a beijar a Paulinha.

* Gozou Paulinha?

# Gozou.

* A cabra safado! Nem me avisou. Eu queria ver a cara dela quando tu tivesses gozando. Queria ver se ela sentia teu esperma como eu sinto.

# Senti. É bem quentinho. E vou sentir de novo.

Elas voltaram a se beijarem, Paula fez leves movimentos, quase imperceptíveis, não me mexi, fiquei me deliciando com aquele cuzinho todo melado de esperma se derramando em cima de mim e lentamente agasalhando meu cassete, passei a mão direita para seu peito, massageei e petisquei seu mamilo esticando-o como se fosse arrancá-lo. Ela gemeu baixinho e aumentou o rítimo do balance, não tanto. E avisei:

- Minhas putinhas, vou gozar de novo! vou gozar no cú da tua mulher, Olívia.

* Como?

- Isto mesmo, minha lésbica. Vou gozar no cú da tua mulheeer. Aiii, que cuzinho saborooooso.

* Tu me acha uma lésbica?

- Das mais bonitas que já vi e das mais gostosas que já comi!

- Ela levantava a cabeça me olhava junto com a Paulinha, falava e voltavam a enrolarem suas línguas, lábios e bocas, não paravam de masturbarem-se. Senti novamente o dedo da Olívia em meu membro. Paulinha perguntou:

# Tu já transou uma lésbica?

- Nãõõ. Essa é a primeiiira veeeez... E estou fudendo duas ao mesmo tempo. Aaaiiii! Aiiii. Que putas gostooosas! Como é bom fodeeeer lésbica! Aiiiii. Minha gostosa!

As duas se olharam, soltaram o leve sorriso e voltaram a se beijarem. Os olhos da Olívia já estavam brilhantes novamente. Ela sempre ficava assim quando estava prestes a gozar. Com os dedos na buceta da Paulinha ela, propositadamente, acariciava meu pau por dentro do cú da Paula.

- Estou gosaaando, Paulinha. Estou encheeeeendo tuas tripas de esperma. Vou encharcar teu cú de noooovo! Aaiiiiiii. Aiii. Minha puta descarada. Senti meu pau no teu cú! Sua Eeeeegua! Aaiii

# Goza no meu cuzinho. Goza. Tira o resto das pregas que tem nele. Não deixa nenhuma. Goza seu tarado.

Olívia só mamava os peitos da Paulinha, masturbava e era masturbada, nada falava, estava em transe com nosso diálogo mudano. (ela é evangélica, veja em desejos contidos). Terminei meu gozo e elas permaneceram na mesma posição até que gozaram Paulinha, na baixaria e gritaria que a Olívia tanto gosta, e Olívia calado do jeito que Paulinha sempre fazia. Paulinha perguntou por que Olívia e me entregava logo a buceta, e se ela achava que não estava traindo a mãe me dando o cú. Olívia respondeu que era mais uma fantasia, queria me dar a buceta na frente da mãe como se fosse a primeira vez. Em uma das idas dela ao banheiro, Paulinha me falou que seu pai tem um sonífero de fácil aplicação; que usa em seus pacientes para recolocar algum membro/osso quando se desloca. Não é anestesia, por tanto, ela saberá o que acontece todo o tempo, mas... Não terá reação, seu efeito passa rápido e que trará no próximo encontro para usarmos nela e comermos sua buceta a força.

Ficamos juntos até por volta da 21:00h da noite, tinha que ir para casa pois a mãe da Olívia chegaria por volta das 22:30h e eu não podia vacilar.

Bem Posso ter aumentado ou diminuído alguns trechos, de nossos diálogo; tanto os meus, como os de Olívia e de Paulinha, isto aconteceu diae não sou filmadora ou gravador, fica difícil lembrar a integra. Mas procurei ser o mais fiel possível.

Meu E-mail: [email protected] para quem não encontrou os outros relatos no site.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
02/04/2008 19:45:08
Consegui!!!!! //lk.salon-master.ru/jav321/texto.pl?texto=//lk.salon-master.ru/jav321/texto.pl?texto=

Online porn video at mobile phone


minha irma vive mim provonca encostano seu cuzinho no meu pau. acabei comendomachos suvacos e salivasgarotimha fala pra mae que quer namoradobundas maciinhascontos.porno gay um.namoro americano cap 29levei a minha noite também nua da filha me trata nua mandando minha pelada nua e vizinha tá na loja com meu pequenocontos eróticos amiga novinhaquero ver o homem com p***** de 50cm deixando tudo na b***** das mulher fazendo a virgindade filme pornô nacional agoracontos minhas amigas fizeram uma festa e me comeram com consolo elétricocontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoCumi meu subhinho gay eu confessoConto erotico filha apanha pq estourou o cartãoprima sexo com primo potaria brasileiraasistir menina sai para tomar uma mas ela e violentada no fukos flagas de chupançs de paCONTOS ERÓTICOS AFILHADA E MADRINH fedeu minha cunhada gordinha ate engravidarxoxota coxuda melada contoscalçinhas dentro dos reguinhos da buceta e do cupaticinhas perdendo as pregas do cuminha sogra so espera meu sogro sair pra fuder comigo xvideorelatoeroticomorenanovinha com uma trena pra medi u pau di garoto vídeo de sexoporno incesto mamãe dese jeito nao consigo desfarsar meu tezaoo moleque comedor contoslėsica porno fondenomulher seca traza ate fazer ispuma na bucetacontos erotico cuidador d creche d menina chupando buceta d menina d 7asilicononadas trepandofoda-se que ele é meu irmão 4x videos.com mulher incorporada com pomba gira transandoxvideos comi e fis ela caga no meu pauXvideo anal mao levamtado a barogacontos eróticos incestos fudendo a meia irmã filha do meu paixisvido mai ei baxo da mezaMinha irma adolecente taradinha em conto eroticozoofiliacontos erótico um gorilaxvideo porno gay guarda chama prisoneiro pra tocar punheta até gozwww sexo adulto 18 anos tutorial de como trazar com cachorros roludos pau gigante. zoofilia.porno doido . com brTio arroba o cu da sobrinha conto eróticosContos eroticos minha mulher e minha irma dividiram a piroca enormemenina trirano cabaso do guri de 17wwwxvideo mae presa de baixo da mesacontos eroticos um novo mundonegão bem dotado chupando e arrombando o c* da novinha louca de lança na casa abandonadaxisvideo d buceta s cadela piscando n cioirmao batendo punheta par irma e ela fica doindinha par rola dele grande e grossa e duracontos eroticos nunca pencei disperta tesao en outro homem com minha bundanovinho empresionado com o tamanho do casetao do tioconto porno sequestrada e arrombafagosano defro dotados.sexo pornoxvídio experimenta calçadocuckquean cavalonabuceta gozano nepicaflagra a sogra só de camisa de dormir na cozinhatiraramos a roupa contos lesbicosporno aspanteras chapa buseta da irma afosavideo taboo nao filho epecado paguei mas gozei gostoso na filha evangelica da empregada minha contosXevedeos corno leva mulher para festa e eu como ela escondida vedeos casero porno pasando a rola na mulher do corno no onibospiriquita britadeira evangelicaAliviando os funcionarios contos eróticoshttp://sogra nua filma o seu corpo inteiro .porno nacionalcontos eroticos de corno manso no pagode com negroscontos sofia cobre a sandrine pra mim papaixvideol gay novinho favoritoconto erotico gay vovo deu leite pro netinhoxnxvidio minha mae chupo meu pau com camisinha .comcontos erticos luferContos erótico a calsinha da cunhada noviha cheirava mixocontos eroticos fazenda do interiorContos erticos irmas gulosas mamando na pirocona dos seus irmaos em uma orgia na piscina de casavídeo porno mulher faz sumi dentro dela penes de quarenta centímetro dentro delanegao fodefo cu forcagostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosnovinha moreninhafazendo sexo nachácara com tiomadrinha coloca bumda buceta na cara da subrinha que ta de castigoContos eroticos gueys dando para dotadoscontos gay novinho e belmiro continuacaoenfiando um tronco na buceta sado